Cultura

Foto: Divulgação

A cultura tocantinense marcará presença na Feira Nacional de Artesanato 2011 que será realizada em Belo Horizonte (MG). Cerca de oito mil expositores do Brasil inteiro e de mais nove países vão apresentar seus trabalhos a partir desta terça-feira, 22, até o dia 27 de novembro na capital mineira. Entre eles, dois artesãos do Projeto Capim Dourado Ponte do Tocantins e da Associação Comunitária de Desenvolvimento de Lagoa do Tocantins. Um estande será montado para a apresentação de peças produzidas a partir do capim dourado e do babaçu.

Com o tema "São Francisco: O Rio e o Santo" o Centro de Exposições George Norman Kutova (Expominas) se transformou em diversos pontos turísticos das cidades banhadas pelo rio (turismo ecológico, turismo de aventura, turismo religioso, turismo de pesca, artesanato e folclore). Durante os seis dias serão oferecidos, de graça, oficinas, palestras, cursos e seminários. Os palestrantes vão discutir sobre design, produção, venda e exportação, além de ensinar técnicas de produção artesanal.

Para a analista técnica do Sebrae Tocantins e Coordenadora de Artesanato, Magvan Botelho, o projeto que tem como objetivo a abertura de novos espaços para o artesanato tocantinense. “A participação desses profissionais representa prospecção de mercado. É uma oportunidade de gerar mais ganho para essas comunidades”, comenta a coordenadora.

Os organizadores esperam a visita de 180 mil pessoas com uma movimentação de R$ 76 milhões de reais em volume de negócios fechados a curto e médio prazos. Um total de US$ 3 milhões deve ser negociado em exportações. O evento é promovido pelo Instituto Centro Cape (ICAPE) e tem o apoio do Sebrae.

De acordo com a diretora técnica do Sebrae Tocantins, Mila Jaber, participar de feiras de artesanato é uma forma de promover o artesanato tocantinense e garantir o escoamento da produção, gerar trabalho e renda visando o fortalecimento da cadeia produtiva do artesanato no Estado.

“A Feira Nacional do Artesanato, também conhecida como Mãos de Minas, é uma feira reconhecida mundialmente e possibilitará aos artesãos não somente apresentar o artesanato rico em capim dourado e babaçu, como também, a comercialização de seus produtos diretamente ao consumidor final” acredita a diretora.

A entrada na 22.ª Feira Nacional do Artesanato custa R$ 7. Mais informações sobre a programação e o horário de funcionamento podem ser obtidas no endereço: http://www.feiranacionaldeartesanato.com.br/atividades.aspx.

TOP 100

Pela primeira vez, as inscrições para concorrer ao prêmio Top 100 do Sebrae poderão ser feitas durante a realização de um evento. O Prêmio Sebrae TOP 100 de Artesanato – 3ª Edição, tem como objetivo reconhecer e valorizar o trabalho realizado por artesãos de todo o País, selecionando as 100 unidades produtivas mais competitivas do Brasil. Com inscrições abertas a partir do mês de setembro, o prêmio finalizará as inscrições em um estande montado na feira, com estrutura inclusive para realização de fotografia das peças que pretendem concorrer ao prêmio. As inscrições se encerram no dia 27 de novembro, último dia da FNA. (Ascom Sebrae)