Estado

Foto: Divulgação

Depois da aprovação do orçamento de 2012 que prevê R$ 7,7 bilhões para o governo o secretário de Planejamento e Modernização Pública da Gestão, Eduardo Siqueira Campos comentou ao Conexão Tocantins sobre as perspectivas da gestão para o próximo ano. A saúde teve maior fatia no orçamento, mais de 1 bilhão.

Eduardo mencionou o programa de Internação Domiciliar que começou a ser desenvolvido pela Secretaria Estadual da Saúde e que oferece estrutura profissional para que pacientes possam ser atendidos e assistidos em suas residências. Com a aprovação do orçamento a expectativa é começar o ano com mais investimentos na área. “Desde aquisição de medicamentos a abertura de leitos de UTI e neonatal, bem como as reformas nas unidades de saúde, todos os problemas nesse contexto”, enumerou.

Questionado sobre o fato do secretário Arnaldo Alves Nunes permanecer como interino há quase um ano na pasta, Eduardo frisou que é uma questão pessoal do secretário e que isso não diminui sua atuação na secretaria.

Na área da Infra-Estrutura o secretário citou investimentos para estradas e a construção de obras como a nova Ponte de Porto Nacional. “Não temos mais necessidade de fazer programas emergenciais”, frisou ressaltando a necessidade de manutenção permanente nas estradas.O Estado deve concluir ainda a recuperação de trechos importantes para melhor escoamento da produção principalmente nos municípios de Campos Lindos, Itacajá e outros.

O secretário frisou que mesmo com a aprovação dos recursos para o Estado é preciso se ater à busca do equilíbrio fiscal já que o Estado está com a capacidade de investimento diminuída, o que implica na redução de gastos na estrutura.

Em 2012 o governo deverá desenvolver mais ações e projetos, segundo Eduardo já que o cenário é mais favorável.

Recomendação

Com relação às alterações na equipe de governo já que o governador Siqueira Campos (PSDB) recomendou que os secretários e demais auxiliares interessados em disputar a eleição em 2012 deixem o governo até dia 31, o secretário salientou que o governo não é contra os projetos políticos de ninguém. “Não somos contra os projetos de ninguém, o governador quer pessoas focadas”, salientou.

Não há lista com nomes de cotados para deixar o governo e não houve nenhum pedido direto a nenhum secretário, segundo Eduardo. “Cabe aos secretários procurarem o governador e externarem se querem sair, não há lista”, explicou.O secretário extraordinário de Gestão Hospitalar, Raimundo Boi (PSDB) teria desistido de tentar disputar a prefeitura de Miracema e deve permanecer no governo.

Outros nomes como Agimiro Dias e Ronaldo Dimas por exemplo permanecem indefinidos sobre 2012 embora já tenham declarado pretensões.