Polí­tica

Foto: Frederick Borges

O ex-secretário de Segurança Pública do Estado e ex-aliado do governador Siqueira Campos (PSDB), advogado João Costa concedeu polêmica entrevista na Rádio Tocantins FM na manhã desta terça-feira, 20.

O ex-secretário afirmou que para captar investimentos estrangeiros é preciso combater a corrupção. “Dinheiro do Japão o Brasil não precisa esperar, foram lá passear e comprar bugigangas”, salientou o ex-secretário se referindo à viagem internacional de comitiva do governo e também do governador.

João Costa questionou ainda a terceirização na Saúde e apontou falha do governo para administrar tanto a Saúde como a Segurança Pública. “Não tem governo, não tem planejamento e não tem administração”, frisou.

Analisando o perfil dos políticos do Estado, o ex-secretário disse que todos são formados pela mesma escola e pelo mesmo professor. Costa questionou ainda a proposta de congelamento do salário do governador que tramita na Assembleia Legislativa. “O que adianta diminuir salário se as licitações estão sendo feitas como são? Isso é hipocrisia”, afirmou.

Em sua fala o secretário disse que a tirania é uma das marcas na administração do Estado. “O servidor vive perseguido, aqui é prática, perseguir as pessoas, falar que está ligado a um grupo político, se passar perto da casa de alguém que é da oposição, é demitido, isso é tirania”, frisou.

Não faltaram críticas no trabalho da pasta do Planejamento e da Modernização Pública que tem Eduardo Siqueira à frente. “Onde tem planejamento, onde tem projeto não precisa contratar iniciativa privada para governar o Estado”, salientou.

TCE e Rced

Analisando a atuação do TCE, o ex-secretário afirmou que o Tocantins não crescerá enquanto os poderes não sejam independentes. “Eu sei que as coisas poderiam melhorar, o TCE pode melhorar muito”, disse.

Sobre o Rced contra o governador Siqueira Campos, João Costa evitou entrar em detalhes mas frisou que se o processo for bem fundamentado pode sim resultar numa cassação.Costa comentou ainda sobre o papel da oposição no Estado. “Eu penso que a Assembleia deveria atuar mais, é preciso agir mais”, opinou. Os deputados governistas precisam ser mais críticos, na opinião de João Costa.