Saúde

Foto: Divulgação

Portaria nº 58/2012, assinada pelo secretário da Saúde de Palmas, Samuel Bonilha, implanta critérios de Classificação de Risco Pediátrica e Odontológica nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Norte e Sul de Palmas, a partir desta semana. A portaria atualiza também, a Classificação de Risco Geral, que funciona desde o ano de 2008.

De acordo com o secretário, a atualização e os novos critérios de Classificação de Risco no atendimento das UPAs são fruto de estudos, de reuniões e da vivência dos profissionais que trabalham nas coordenações das unidades de Urgência e Emergência e da Atenção Básica da Semus, além de especialistas da pediatria e odontologia.

“Foi um trabalho árduo que trouxe subsídios para qualificar e agilizar ainda mais, o atendimento de urgência, para quem mais precisa", assegura Bonilha.

Cores Classificatórias

De acordo com Cláudia Fulanetto, Gerente de Urgência e Emergência da Semus, a classificação de risco obedece a um protocolo classificatório definido por grupos, identificados pelas cores: vermelha (atendimento imediato); amarela (atendimento prioritário); verde (atendimento de menor gravidade) e azul (atendimento pelo serviço social).

“ As cores representam a análise da gravidade do quadro clínico do paciente. São levados em conta os sinais, representados pelo que o profissional de saúde vê e afere, bem como, os sintomas, resultantes do relato do paciente”, explica Claúdia Fulanetto.

A gerente enfatiza ainda que a priorização dos casos mais graves aumenta a probabilidade de salvar vidas e diminui possíveis sequelas. “Reverter quadros clínicos agudos ou cronicos agudizados são a finalidade do atendimento de urgência que é realizado nas UPAs”, conclui Claúdia Fulanetto. (Ascom Sesau)