Saúde

Foto: Divulgação

Em reunião realizada nesta quinta-feira, 23, em Palmas, o Governo do Estado, por meio da Sesau – Secretaria de Estado da Saúde, secretaria Municipal de Saúde de Palmas e Ministério Público Estadual buscaram soluções para poder controlar a epidemia de Dengue na cidade. Ficou determinado que as ações de controle vetorial da doença devem ser intensificadas e os infratores responsabilizados por meio de multas, conforme código sanitário municipal.

Nas discussões foram apresentados três fatores que contribuíram para atual situação da doença na cidade, os quais devem ser melhorados conforme solicitação do Ministério Público. Um deles, apresentado pelo diretor de Doenças Vetoriais e Zoonoses da Sesau, Whisllay Maciel Bastos é quanto à supervisão dos trabalhos dos agentes que trabalham no controle da dengue. “É necessário que os agentes cumpram o que está determinado, que fiscalizem por completo o imóvel, inclusive reservatórios elevados, como caixas d’águas e calhas. Se devem fiscalizar 25 imóveis/dia, que eles faça o serviço pelo qual são remunerados”, disse.

Além de melhorar a qualidade e a quantidade dos imóveis inspecionados, também ficou estabelecido o fortalecimento das ações de supervisão do trabalho dos agentes de endemias, agentes comunitários de saúde e de agentes de limpeza que trabalharam no controle da doença. Para isso, o Estado disponibilizou três equipes, composta de no mínimo dois técnicos, que estarão percorrendo a cidade para supervisionar os trabalhos e atuar na eliminação de focos em áreas descobertas.

Outro critério debatido foi a omissão da população. Para a promotora de Justiça, Maria Roseli de Almeida Pery, todos são iguais perante a lei e devem ser responsabilizados por seus atos. “Os problemas são inúmeros, o principal deles e a falta de recursos humanos para o controle da doença, mas a população é corresponsável pelos problemas de saúde pública e devem ser penalizados conforme o código sanitário municipal”, salienta a promotora.

A promotora de Justiça estabeleceu que o Estado e município devem apresentar um plano conjunto de intensificação de eliminação de focos, criadouros e atividades de bloqueio da transmissão viral. Este projeto vai ser apresentado no dia cinco de março, em uma nova reunião que acontecerá no Ministério Público.

O encontro contou com a presença de técnicos da Sesau e do município, do secretário municipal de Saúde de Palmas, Samuel Bonilha, do diretor de Vigilância de Doenças Vetoriais e Zoonoses da Sesau, Whisllay Maciel Bastos e da promotora de Justiça, Maria Roseli de Almeida Pery. (Ascom Sesau)