Polí­tica

Foto: Divulgação

Neste dia 08 de março em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a vice-prefeita de Palmas,Edna Agnolin (PDT), pontuou avanços significativos, principalmente na conquista de espaço político e social. Edna ressaltou as políticas adotadas pelo Governo Federal, como o fortalecimento da Lei Maria da Penha, e na área de saúde, a redução da mortalidade materna em 19% em 2011.

No governo municipal, Edna destacou o apoio às políticas de combate à violência contra a mulher, lançada em Palmas, após a criação da Coordenadoria da Mulher, Direitos Humanos e Equidades (Comudhe). “Em Palmas, as mulheres recebem atenção, desde a saúde ao combate à violência no lar. Temos o Centro de Referência Flor de Liz que orienta mulheres vítimas de violência, e também o acolhimento aos casos onde há risco à vida na Casa Abrigo. Mas é preciso avançar mais, alcançar mais mulheres que padecem de necessidades que o próprio Governo tem condições de ajudar” disse.

Edna lembrou também das políticas de apoio à mulher na área da Saúde, como os mutirões anuais de exames papanicolau (preventivo ao câncer do colo uterino), programas de acompanhamento à gestação, do pré-natal ao aleitamento materno, e atenção básica à saúde voltada para mulher.

Para a vice-prefeita, a atual conjuntura política, econômica, cultural e social, tem gerado condições favoráveis para o crescimento da mulher em todos os setores. Edna afirmou que a igualdade de gênero não significa competição entre homens e mulheres, mas a junção entre duas maneiras de pensar, trabalhar e agir. “Mulher é sensível e dinâmica. Homens e mulheres assumem papeis diferentes em seus ofícios, e essa união fortalece a sociedade” declarou.

Edna lembrou importante conquista votada recentemente no Senado que prevê multa a empresa que pagar salário inferior à mulher quando ela realizar a mesma atividade que o homem. “Já está consignado na constituição, mas com a lei, passará a doer no bolso do empregador” exortou. Ainda sobre recentes decisões do legislativo federal. Edna destacou o projeto, já aprovado pela Câmara, que exige do SUS (Sistema Único de Saúde), a reconstrução da mama em caso de mulheres que foram vitimas de câncer.

No contexto das comemorações dos 80 anos do voto feminino, Edna disse acreditar que esta é a maior conquista do último século para as mulheres. “Desde então, a mulher tem conquistado e vencido barreiras, travado lutas e mostrado o quanto sua força no mercado tem auxiliado o homem no dia a dia”, ressaltou. (Assessoria de Imprensa)