Saúde

Foto: Koró Rocha

A saúde pública do Tocantins foi o principal alvo dos debates ente os parlamentares na manhã desta terça-feira, 20, na Assembleia Legislativa. Depois dos pedidos dos tempos de discursos de todas as lideranças de blocos e bancadas parlamentares, deputados de governo e de oposição discutiram sobre a recente manobra do governo em retomar a administração do Hospital Geral de Palmas.

Depois de ouvir da bancada de oposição sobre a incompetência do governo ao repassar a administração da saúde pública do Estado para a Pro-Saúde, o deputado Marcelo Lelis (PV) subiu à tribuna para compartilhar a responsabilidade da situação precária do HGP com a prefeitura de Palmas. De acordo com o deputado, os serviços de urgência e emergência são de responsabilidade do município e, por isso, a questão deve ser dividida entre as administrações municipal e estadual. “O HGP virou um grande Pronto-Socorro. Ali tem dos mundos; um em estado de guerra, no pronto-atendimento e outro mais organizado, com as pessoas nos leitos”, disse.

Já em tom de pré-campanha, o deputado do PV, a todo instante, compartilhou os problemas no HGP com a gestão do prefeito Raul Filho (PT). “O problema é da prefeitura sim. Não quero isentar o Estado, mas estamos no final da gestão do prefeito. São oito anos que ele deixou de cumprir as promessas de campanha”, completou.

Sobre a compra de um hospital particular pelo governo para exercer os serviços de urgência e emergência, Lelis frisou que será o Estado cumprindo as determinações do município em gerir tais serviços. “Mas o Estado quer as prefeituras fazendo a parte delas”, completou.