Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente do Partido Progressista de Palmas, empresário Carlos Amastha, não confirma a especulação que o coloca como possível candidato à vice-prefeito de Palmas em uma chapa encabeçada pela ex-primeira-dama do Estado, Dulce Miranda (PMDB).

Amastha diz que vem mantendo diálogo com o PMDB para formar uma aliança forte para a disputa pela Prefeitura de Palmas nas eleições deste ano e conta que a última vez que se reuniu com o ex-governador Marcelo Miranda e a ex-primeira-dama do Estado, Dulce Miranda, foi no mês de fevereiro e que nesta conversa não foi discutido o nome de Dulce e sim foram debatidas propostas para a cidade de Palmas e uma aliança partidária para que PP, PSB, PMDB, PCdoB e outros partidos interessados em construir uma campanha propositiva para Palmas, estejam juntos na composição de uma terceira via para as próximas eleições.

O presidente do PP de Palmas diz ainda que tem mantido esse diálogo constante também com o presidente do Diretório do PMDB de Palmas e pré-candidato do partido à prefeitura, deputado estadual Eli Borges, com o presidente do PMDB no Estado, deputado federal Júnior Coimbra, com o ex-governador Carlos Gaguim, o vereador Carlos Braga e outros membros do diretório do PMDB na busca de uma aliança partidária forte em defesa de Palmas.

“Jamais faríamos uma proposta ao ex-governador, uma pessoa que muito admiro e respeito, sem levar em consideração que qualquer definição de um grupo deverá vir da direção dos partidos”, reforçou Amastha.

O líder do PP reforça que está empenhado em fazer uma grande coligação para as próximas eleições. “Estamos trabalhando na construção de um grupo que tenha os mesmos objetivos, que é construir uma campanha propositiva, baseada em ações concretas que possam melhorar a vida do palmense”, confirmou.

Amastha também falou que respeita a pessoa do deputado Eli Borges, que constrói, segundo ele, uma candidatura competitiva para a Prefeitura de Palmas. “Tenho mantido um diálogo muito positivo com o deputado Eli Borges, um pessoa que tenho profundo respeito e admiração. Mas compreendo que as definições do PMDB precisam ser tomadas respeitando a direção do partido”, complentou.

Para o presidente do PP de Palmas, a aliança entre PMDB, PP, PSB, PCdoB e demais partidos compromissados em fazer propostas concretas e viáveis para Palmas pode reforçar a terceira via nas próximas eleições. “O PMDB nunca fez o prefeito da capital. Poderia agora capitanear uma terceira via junto com PP, PSB, PCdoB e outros partidos, lançando uma campanha vitoriosa em Palmas. A proposta é que o nome deste grupo que esteja mais bem avaliado nas pesquisas seja o candidato”, diz Amastha.

Eli Borges

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã deste sábado, 31, Eli Borges afirmou que a especulação na imprensa que trata da possível candidatura da ex-primeira-dama, Dulce Miranda "não passa de matéria paga visando gerar instabilidade" na construção da sua pré-candidatura.

Borges também confirmou a fala do empresário Carlos Amastha e disse que PMDB, PSB, PCdoB, PP, vão “fechar questão” em torno de um projeto para Palmas. O peemedebista ainda inseriu no consórcio partidário o PT, PDT e PPS. Borges afirmou também que a pré-candidata do PR, Luana Ribeiro, também já aderiu ao grupo para apoiar ou ser apoiada.

Representante Siqueirista

O nome colocado para concorrer à Prefeitura de Palmas por parte da base do governo Siqueira Campos é o pevista Marcelo Lelis, que lidera as pesquisas de intenção de voto até o momento.

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã deste sábado Borges criticou a ação política do pevista que nos últimos dias usou o programa partidário gratuito para atacar a gestão do prefeito de Palmas, Raul Filho.

O candidato do Partido Verde vem fazendo intensa movimentação política em tem atraído, também, para sua órbita, alguns partidos ditos nanicos. (Da redação com informações da Assessoria de Imprensa Carlos Amastha)