Estado

Foto: Divulgação

Mesmo depois do presidente da Agência de defesa Agropecuária – Adapec, Geraldino Ferreira Paz afirmar ao Conexão Tocantins esta semana que os problemas na estrutura dos postos fiscais espalhados pelo Estado estão sendo resolvidos, servidores do órgão, fiscais e inspetores agropecuários entraram em contato com o Conexão Tocantins para informar que as demandas continuam.

Um problema básico nos postos é a falta de internet e telefone, que segundo o presidente já teria sido resolvido mas ao servidores negam. “ Os postos continuam sem telefone e sem internet tanto é que em Santa Teresa os documentos estão sendo manuscritos”, conta um servidor que preferiu não se identificar. Através da internet é emitida as guias de transferência relativo aos rebanhos. Os equipamentos de informática de alguns postos estariam sucateados.

Outro impasse é com relação aos veículos do órgão. No pátio de Porto Nacional vários carros estariam parados por falta de manutenção, segundo apontaram os servidores e também motoristas. O mesmo problema estaria acontecendo em algumas barreiras que o órgão atua.

A situação dos postos fiscais em Barra do Ouro e Campos Lindos por exemplo é também motivo de reclamação dos servidores. “Estamos tendo que trabalhar em condições sub-humanas”, frisou. Segundo informações alguns servidores se reuniram com o presidente para discutir o relatório do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do mês de fevereiro que mostrou que o Estado pode perder a condição de exportador de carne para alguns países em razão de problemas na estrutura da Adapec.

Alguns servidores pensam em comunicar o impasse ao Ministério do Trabalho para que sejam feitas vistorias nos locais de trabalho. O presidente do órgão informou ao Conexão Tocantins que já está em processo de contratação de 45 médicos veterinários para reforçar a equipe.

O assunto foi comentado também na Assembleia Legislativa pela deputada do PT, Amália Santana que também recebeu reclamações de servidores do órgão e afirmou inclusive que iria conversar com o secretário de Agricultura, Jaime Café sobre o impasse.

Relatório

O relatório do ministério deixou os servidores mais apreensivos com relação ao trabalho. O documento, assinado pela veterinária Adriana Carla Floresta, apontou falhas estruturais na prestação de serviços por parte da Adapec, falta de kits de coletas de amostras de UVL’s que trabalham com avicultura e de geladeiras nos postos da Adapec para armazenamento de vacinas e remédios, pouco investimento de recursos financeiros e outras falhas graves.

O risco maior é a possibilidade do Estado não poder mais negociar carne com o mercado europeu e asiático em razão das irregularidades.

O presidente da Adapec frisou ainda que o Tocantins está credenciado a exportar para 130 países e que o crescimento nas exportações é de 240%.