Estado

Foto: Divulgação Geraldino Ferreira Vaz, presidente da Adapec Geraldino Ferreira Vaz, presidente da Adapec

Um relatório do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do mês de fevereiro mostrou que o Estado poderia perder a condição de exportador de carne para alguns países e é assinado pela veterinária Adriana Carla Floresta , chefe do Sisa/SFA-TO.

Vários problemas foram apontados desde questões estruturais como na prestação de serviços por parte da Agência de Defesa Agropecuária do Estado- Adapec. O relatório mostra que estariam faltando kits de coletas de amostras de UVL’s que trabalham com avicultura, geladeiras nos postos da Adapec para armazenamento de vacinas e remédios, pouco investimento de recursos financeiros e outras falhas graves.

O presidente da Adapec Geraldino Ferreira Paz admitiu ao Conexão Tocantins que teve conhecimento dos problemas apontados no relatório. “Temos conhecimento sim e estamos tomando as providências e medidas necessárias para atender as solicitações do ministério e da União Euripeia”, afirmou. A deputada estadual do PT, Amália Santana chamou atenção para o impasse nesta terça-feira, 24, na Assembleia Legislativa.

Os serviços de telefone e internet nos escritórios da Adapec realmente estavam suspensos, segundo confirmou o presidente, mas já teriam voltado ao normal. Sem estes serviços as guias de transferências de animais não estavam sendo emitidas. “Estes problemas foram sanados na semana passada, não temos nenhum escritório sem telefone e internet o serviço está normal”, garantiu.

Os problemas nos serviços da Adapec estariam ocorrendo principalmente nos municípios do Norte do Estado onde até a higienização dos veículos que levaram o gado estaria suspensa por falta do remédio necessário.

O Estado não corre risco de não poder mais negociar carne com o mercado europeu e asiático, segundo argumenta o presidente. “Estamos habilitados a exportar para 130 países. No mercado europeu estamos em processo de credenciamento e atendendo todas as exigências”, disse. Uma das exigências, segundo o presidente, é a contratação de mais médicos veterinários. “Agora em abril e maio vamos contratar 45 médicos veterinários”, anunciou.

A Adapec argumenta ainda que os dados mostram que a comercialização de carne cresceu 240% no Estado no último ano.