Polí­cia

Foto: Divulgação

Continuam presos o presidente da Associação dos Cabos e Soldados do Estado (ACS-TO), cabo Geovane Alves dos Santos e o presidente da Associação dos Policias e Bombeiros Militares do Estado (ASPBMETO), major Luís Chaves do Vale já que o presidente do Conselho da Justiça Militar do Tocantins, José de Ribamar manteve a prisão preventiva dos dois.Ribamar seguiu o parecer do Ministério Público Estadual (MPE) que recomendou que os representantes continuem presos.


A informação é que o advogado dos militares, Joziran Bezerra pretende entrar novamente com um Habeas Corpus mas desta vez no Tribunal de Justiça. Chaves está no Comando Geral da Polícia Militar enquanto Geovane está detido no 6º Batalhão da corporação, em Taquaralto.

Entenda


Os dois presidentes das Associações foram alvo de um mandado de prisão por parte do Comandante Geral da Polícia Militar depois de terem assinado nota lida no plenário da Assembleia Legislativa com tom de ameaças contra os deputados estaduais que votassem contra os interesses da corporação nos projetos de lei do governo que tratavam da modernização da PM.


Os deputados alegaram que foram ameaçados através da nota que dizia inclusive que os deputados que votassem contra os militares seriam consideradas “personas non gratas”e que eles não se responsabilizariam pelo que poderia acontecer a estes deputados quando adentrassem nos quartéis.