Polí­tica

Na data que antecede o Dia do Trabalhador, celebrado universalmente dia 1º de maio, o presidente estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT), deputado federal Ângelo Agnolin, felicita “todas as classes de trabalhadores do Tocantins, aquelas com as quais ajudam a construir um Estado forte e pujante”.


O PDT, conforme Agnolin, defende a melhoria de condições de trabalho para todas as categorias, da iniciativa privada ao serviço público, bem como luta contra qualquer tentativa de desvirtuar a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). “Nós, trabalhistas, não aceitamos que se retire qualquer direito ou conquista da lei, seja trabalhista ou sindical, que o povo conquistou ao longo dos anos” assegura.


O parlamentar destaca ainda a luta dos trabalhadores e suas principais conquistas, tais como a lei que criou a Justiça do Trabalho, em 1941, e o percentual de aumento do salário mínimo nas últimas décadas. “Sem dúvida, o brasileiro aumentou seu poder de compra. Somente no Governo Lula, o salário mínimo acumulou ganho real de 53%. Mas ainda é preciso avançar mais” diz.


O parlamentar assegura que apesar desse aumento, os brasileiros estão longe de chegar a receber o salário ideal, uma vez que o Dieese - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, instituto que mede a variação do custo de vida das famílias, calcula que o mínimo deveria ser quatro vezes maior, para assegurar uma vida digna capaz de atender às necessidades vitais básicas.


Ciente do papel que representa na Câmara dos Deputados, Agnolin afirma que continuará lutando por melhores condições de trabalho aos tocantinenses, assim como lutou pela aprovação do piso nacional para os Agentes de Saúde e Combate à Endemias e a constante batalha em favor dos professores, como presidente da Frente Parlamentar da Educação Profissional e Ensino à Distância. “Trabalhadores do Tocantins, continuem contando com meu apoio para construir um Estado onde a justiça social, o respeito e a dignidade são marcas do trabalho de sua gente,” finaliza. (Ascom Angelo Agnolin)

Por: Redação

Tags: Angelo Agnolin, Dieese, Leis do Trabalho