Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado federal Eduardo Gomes (PSDB) confirmou ao Conexão Tocantins que vai se licenciar da primeira-secretaria da Câmara Federal para ficar mais no Tocantins ajudando seu grupo nas articulações das eleições de outubro deste ano. “Pretendo tirar licença da primeira-secretaria a pedido para ficar no Estado ajudando nas articulações”, conta.

Gomes diz que quer participar ativamente do processo não só na capital mas também nos municípios do interior. “Precisamos conversar com a base para definir a candidatura dos municípios”, conta o deputado. Para o deputado, as definições mais claras sobre o processo virão nas convenções. “Na convenção a gente discute coligação, por enquanto estamos discutindo conexão”, frisou.

Questionado se o deputado estadual Marcelo Lelis (PV) é o nome que será apoiado pelos partidos da base do governo, Gomes frisou o pevista tem boas chances mas que essa definição acontecerá no momento adequado. “O momento é propício para as tratativas mas as definições de composições serão apenas nas convenções”, salientou.

Alguns membros do grupo do governador Siqueira Campos afirmam que ainda paira dúvida sobre a possibilidade de Gomes ser pré-candidato no pleito mas o deputado se limita a dizer que até as convenções qualquer um membro filiado pode ser candidato. Gomes admitiu porém que não tem essa intenção.

PR

Mesmo sendo do grupo do governo, Eduardo Gomes é próximo da pré-candidata do PR, Luana Ribeiro e do pré-candidato do PP, Carlos Amastha. Sobre o PR, Gomes pontuou que não há rompimento entre o senador João Ribeiro e o grupo. “Não existe separação política do PR com relação a nosso grupo”, disse.

Com relação a Amastha, o tucano afirmou que ele é uma novidade na política e lembrou que em 2008 o PP apoiou o nome de Lelis na eleição ao analisar novas possibilidades de alianças até as convenções.