Campo

Foto: Joatan Silva

O alto número de participantes, cerca de 250, no I Encontro de Confinadores realizado na Agrotins – Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins - confirmou o interesse dos produtores rurais do Estado em criar animais no sistema de confinamento. O encontro aconteceu nesta última quarta-feira, 9, no auditório Araguaia, no Centro Agrotecnológico de Palmas.A Feira iniciada nesta terça-feira, 8, se encerra no sábado, 12.

De acordo com coordenador do evento, Daniel Gaia, este primeiro encontro surpreendeu a todos. “Notamos que o interesse dos produtores que criam ou pensam em criar o gado em confinamento foi muito grande. E esse é um momento em que eles podem adquirir mais conhecimento para esse sistema de criação que vem crescendo muito no Estado”, argumentou.

Para o zootecnista e consultor de treinamento da BEA – Bem-estar Animal, Murilo Henrique Quintiliano, a criação de bovino em confinamento tem várias vantagens econômicas. “Podemos citar como benefícios a redução da idade e do ciclo de abate; aumento da taxa de desfrute; aumento da taxa de lotação e da produção de arrobas. E ainda, alta produtividade de se conseguir melhor preço de venda”, destacou.

Bem estar

Henrique destaca ainda que para se ter um bom rendimento do rebanho é necessário cuidar do bem-estar animal, o que garante melhor rendimento na carcaça na hora da comercialização. “O produtor deve cuidar bem dos animais com boas estratégias. Entre elas a vacinação e ter um curral com sombra, o que possibilita cerca de 300 a 400 gramas de peso a mais por dia”, afirmou.

Confinadores

O encontro é uma realização da Seagro – Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, em parceria com a Ouro Fino agronegócio e o Portal do Agronegócio.

Dados

O Tocantins possui de 90 a 100 mil cabeças de gado criado no sistema de confinamento. As regiões de Araguaina, Gurupi e Paraíso do Tocantins são as que se destacam. No Brasil, o estado de Goiás lidera o ranking, seguido do Estado do Mato Grosso.