Cultura

Foto: Divulgação

A Fundação Cultural de Palmas (FCP) abre as inscrições para 60 vagas em cursos gratuitos de teatro do Centro de Criatividade nas três modalidades: “Mergulho teatral” (curso montagem de espetáculo musical inédito), “Teatro de Rua de Palmas” (curso montagem da peça A Vida Como Ela É II, O Retorno) e “A arte de ler” (Ciclo de leituras dramáticas de peças, contos, poesia e romances).

O processo de seleção se dará por meio de audição/entrevista e os candidatos podem se inscrever até o dia 31 na gerência do Centro de Criatividade, localizado no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, de 8 às 21 horas. No ato da inscrição os candidatos preencherão ficha e anexarão currículo artístico e anexos que julgarem necessários. As entrevistas serão realizadas com o diretor Marcelo Souza nos dias 2, 5 e 6 de junho.

Quem pode se inscrever

Para concorrer a uma vaga do Projeto Mergulho Teatral 2012, é necessário ter de 14 a 23 anos e não será exigida experiência teatral, para efeito de priorização das vagas serão considerados: o gosto pelo teatro, o conhecimento básico de dança (mesmo que sem formação regular), facilidade de expressão corporal, afinação e canto. As aulas acontecerão aos sábados de 14 às 18 horas e domingos de 10 às 13 horas.

Para o Projeto Teatro de Rua de Palmas, podem se candidatar às vagas, atores amadores e profissionais, professores de arte, jornalistas e pessoas com experiência artística comprovada com currículo e documentosanexáveis, a partir dos 16 anos de idade. As aulas acontecerão as sextas-feiras de 19 às 22 horas até a estreia, prevista para novembro de 2012.

No Projeto A Arte de Ler, as vagas são voltadas para atores amadores e profissionais, professores de arte, jornalistas e pessoas com experiência artística acima de 16 anos. Experiência artística ou pedagógica será importante, mas não se caracterização como exigências. As aulas serão ministradas às quintas-feiras de 19 às 22 horas.

Sobre os cursos

O Projeto Mergulho Teatral, criado como curso intensivo de teatro, tem como proposta nesta atual versão a montagem de um espetáculo musical, uma experiência rara na cidade, onde os alunos terão acesso a aulas de interpretação, canto, dança e história do espetáculo. O texto está baseado em roteiro do próprio professor e diretor Marcelo Souza e contará as peripécias de um grupo de jovens internautas loucos pelas redes sociais. Para ser levado a sério, o projeto tem estreia do espetáculo prevista ainda para 2012, com temporada aberta ao público em 2013.

O Projeto Teatro de Rua de Palmas, reunirá atores e atrizes já iniciados ou profissionais, além de outros que sejam aprovados em audição (teste); da mesma forma o projeto desenvolverá montagem teatral, além de estudo sobre as técnicas de interpretação e montagem de teatro de rua. A proposta é a recriação da peça A Vida Como Ela É no Cordel, sucesso em Palmas entre os anos 2003 e 2006, dirigida por Marcelo Souza, transformada com textos novos e sob o nome A Vida Como Ela É, no Cordel, II, O Retorno.Uma comédia popular totalmente inspirada na literatura de cordel.

A terceira experiência de formação teatral apresenta uma perspectiva inovadora: utilizar a arte teatral para a leitura pública de textos, poemas, contos, estórias, capacitando os alunos para as rodas de leitura, saraus e concursos de interpretação de poesia falada. É o Projeto A Arte de Ler,cujo maior objetivo é estimular a leitura pública, a contação de estórias e as rodas de leitura. Em algumas de nossas capitais de outros estados proliferam experiências neste sentido, criando saraus, reuniões de leitores, leituras em livrarias e bibliotecas e, ainda leitura para deficientes visuais.

Professor Marcelo Souza

Radicado em Palmas há quase nove anos, o diretor teatral e produtor cultural Marcelo Souza chegou na cidade como diretor convidado do próprio Centro de Criatividade para dirigir oficina teatral com iniciantes. No formato curso montagem o processo gerou o espetáculo A Vida Como Ela É, No Cordel, que alcançou um público estimado em 32.000 pessoas em seus quatro anos de temporada.

A peça mereceu prêmio Funarte/ Ministério da Cultura, excursionou pela Região Central do país, representou o Tocantins no Festival de Inverno de Bonito (MS) e revelou alguns atores e atrizes hoje profissionais, como Sabrina Fittipaldi, Cinthia Abreu, Delto Nunes, Emiliane Duarte, Poliana Alves, Leidiane Martins, Pietro Lamonier e outros. Em 2003/2004 foi Secretário de Cultura de Palmas e em 2006 tirou a primeira colocação em concurso para professor de teatro da FCP.

Ator e diretor formado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNI RIO), Souza dirigiu e atuou em espetáculos profissionais, tais como Barrela, de Plínio Marcos (ator), A Cigarra e a Formiga (ator e diretor), Concerto Para Virgulino sem Orquestra (ass. direção de Luís Mendonça), Noite de Guerra no Museu do Prado (diretor) e, dentre outros, Ato Cultural (diretor), quando dirigiu atores do porte de Edwin Luisi, Ângela Vieira, Simone Hoffman, Chico Tenreiro e Expedito Barreira.

Marcelo morou e dirigiu espetáculos ainda em cidades como Rio Branco (AC), Salvador (BA), Goiânia (GO) e Brasília (DF). Paralelamente, ocupou diversos cargos públicos na cultura, na iniciativa privada e atua como produtor cultural há cerca de 30 anos. Neste ano inicia as comemorações de 35 anos de carreira profissional, com dezenas de espetáculos teatrais e musicais, além de oficinas e cursos em diversos estados do País.