Polí­tica

Com cerca de uma hora e meia de atraso para o início da reunião do diretório municipal que deverá indicar o rumo do Partido dos Trabalhadores de Palmas nas eleições municipais deste ano, o prefeito da capital, Raul Filho (PT) confirmou que a disputa, hoje, será entre lançamento da candidatura petista à Prefeitura, ou apoio a uma possível coligação. Nos bastidores já é ventilada como certa a segunda possibilidade, mas a decisão ainda precisa passar pelo colegiado do diretório municipal do PT.

Raul informou que, caso seja indicada uma candidatura própria do partido, o nome escolhido será o do presidente da Câmara Municipal, o vereador Ivory de Lira. O nome do parlamentar tem sido considerado o último suspiro petista papel principal no pleito deste ano. Ivory, desde o início do processo vem declarando sua vontade de concorrer, caso seja a decisão do partido.

Mas se a decisão do colegiado for no sentido de formar uma coligação, o nome escolhido para encabeçar a chapa, segundo Raul Filho deverá ser mesmo o da deputada Luana Ribeiro (PR). A indicação é muito mais pela proximidade do prefeito de Palmas com o pai da deputada, o senador João Ribeiro (PR) e por uma maior intenção de votos na deputada já demonstrada em pesquisas prévias. “Acredito que a composição está indo no sentido de formarmos uma coligação. Não sendo decidido ele (Ivory), a deputada será, possivelmente a nossa indicação”, disse.

O prefeito confirmou a conversa que poderá, ainda, direcionar a composição da chapa tendo Luana como cabeça e o ex-reitor da Universidade Federal do Tocantins, Alan Barbiero (PSB) como vice. “Nós buscamos unidade e, tendo o apoio do partido, poderemos lançar o nome do professor Alan como vice na chapa”, disse.

PMDB

Mesmo já tendo em mente o esboço da possível coligação para a eleição deste ano, o prefeito ainda não descartou trazer o PMDB para a aliança. “Pelo menos com a parte do partido que não está em acordo com o governo”, completou.

Raul ainda deixou a entender que parte do partido dos ex-governadores Marcelo Miranda e Carlos Gaguim estaria negociando apoio ao candidato governista Marcelo Lelis (PV). “Da forma como as coisas estão sendo conduzidas e como o Palácio Araguaia está atuando, não desacredito de mais nada”, salientou.