Polí­tica

Foto: Antônio Gonçalves

Depois das denúncias veiculadas no Fantástico, o prefeito Raul Filho (PT) concedeu entrevista coletiva na qual explicou sua suposta ligação com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Conforme o semanário da TV Globo, gravações apontaram uma reunião de Raul com o contraventor para supostamente tratar de troca de favores antes das eleições de 2004, quando o prefeito foi eleito pela primeira vez ao Paço Municipal de Palmas.

Durante a coletiva, de maneira evasiva, o prefeito salientou que o único contato dele com o bicheiro investigado pela Polícia Federal, foi o divulgado pelas gravações do Fantástico. Raul ainda frisou que o homem chamado Sílvio Roberto não é seu assessor. De acordo com Raul Filho, o homem apontado como seu funcionário é apenas um “amigo de longa data”. “O Sílvio é meu amigo há 20 anos. Há 20 anos ele mora em Palmas, mas eu nunca dei uma procuração para ele falar em meu nome”, explicou.

Sobre possíveis beneficiamentos políticos, o prefeito destacou que a única atuação de Cachoeira em sua campanha foi a contratação do show, no qual os dois conversavam no vídeo. “Na ocasião que eu visitei o empresário Carlos Cachoeira, ele comentou sobre o show. Eu creio que o show tenha sido declarado. Na ocasião, era permitido o show”, disse.

Quando questionado sobre sua declaração de truculência no poder público tocantinense, o prefeito confirmou. “É comum em uma campanha, o Brasil existe uma hipocrisia muito grande. Eu estava em uma campanha e deixei claro que estamos em um Estado em que existe muita truculência do poder”, disse.

A todo momento, o prefeito salientou que nenhuma ação de seu governo tem qualquer resquício de ilegalidade. De acordo com o prefeito, mesmo o contrato com a Delta (empresa responsável pela limpeza urbana de Palmas e alvo das investigações da Operação Monte Carlo) está dentro das normas legais. Na ocasião, Raul Filho ainda destacou que, mesmo com todas as acusações contra a Delta, o contrato com a empresa não será rompido. “A justiça é quem vai definir esta questão. Não posso romper unilateralmente um contrato que está dentro da legalidade”, frisou.

Sobre a contratação da empresa, o prefeito explicou que todo o processo foi dentro da normalidade administrativa, depois de um processo licitatório vencido pela Delta. “Quando eu assumi a prefeitura, eu fiz uma dispensa de licitação por se tratar de serviços ecenciais com uma empresa chama Litucera. Fizemos um processo em que a empresa Delta venceu”, completou.

MPF

Em tom confiante, o prefeito voltou a destacar a usa inocência e negou que o Ministério Público Federal possa comprovar as denúncias de beneficiamento das empresas ligadas ao bicheiro à sua gestão. “O Ministério Público Federal não pode comprovar isto. Nunca vão conseguir comprovar por que não é verdade”, respondeu.

Palmas como estágio

Um dos pontos do vídeo divulgado pelo fantástico e que chamou a atenção durante a coletiva de imprensa desta manhã, foi a alegação de Raul Filho de que Palmas seria um “estágio” para alguma pretensão posterior. O prefeito confirmou a alegação e disse que naquele momento se referiu a sua vontade de disputar o Palácio Araguaia, em 2014. “Todo cidadão busca a ascensão. Sempre planejei governar o Estado. Palmas seria uma instância. Não vejo nada de forma indecorosa. Eu quero que vocês consigam encontrar este ajeitamento. O cidadão que se propõe a trabalhar com a prefeitura ele tem que passar por um processo licitatório. E isto coloca todos em par de igualdade”, afirmou.

CPMI

Desde maio, está em funcionamento no Congresso Nacional a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga a atuação de Cachoeira e sua ligação com políticos e membros do judiciário. Raul afirmou que, caso convocado, não irá se esquivar das explicações. “Eu vou me convocar para ir à CPI. Na CPI eu vou poder dar as devidas explicações”, completou.

Convocação

O relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), deve colocar em votação na próxima quarta-feira, 4, requerimento de convocação do prefeito Raul Filho, que aparece no vídeo negociando doação de campanha com o contraventor. De acordo com a assessoria de Odair Cunha, a própria equipe da relatoria da comissão está elaborando o requerimento de convocação do governante petista. (Atualizada às 16h)