Cultura

O elenco do espetáculo “Tudo por nada no Balaio de Gatos” sobe ao palco do Theatro Fernanda Montenegro neste sábado, 7, às 21 horas, e domingo, 8, às 20 horas, para encenar a comédia da obra de Luis Alberto de Abreu,“O Parturião”. O ingresso custa R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 a meia e pode ser adquirido na sede da Fundação Cultural de Palmas (FCP), das 14 às 18 horas.

O espetáculo é uma realização e produção da atriz Marcélia Belém e conta com o apoio da Chama Viva Cia de Teatro de Tocantins e FCP. Tudo por nada no Balaio de Gatos trata-se de uma ferrenha e antiga rivalidade entre velhos inimigos, um português (Marruá) e um italiano (Tabarone), ambos residentes em São Paulo, onde a peça é situada.

Segundo a diretora da peça, os atores se acham verdadeiros gatos e gatas, assim como as personagens. “Aqui eles juntos e misturados se entregam aos personagens que, como num balaio, estão a fim de se vingarem um do outro ou ariscar ardentes paixões proibidas e picantes relações em troca de saborosos pratos acompanhados de salsa e malagueta”, destaca Marcélia Belém.

Criação do espetáculo

A diretora do espetáculo, a atriz Marcélia Belém, é acadêmica do curso de Licenciatura em Teatro da Universidade de Brasília (UnB), e foi quem desenvolveu a adaptação do texto “O Parturião”, concebeu, dirigiu e produziu o espetáculo. E que conta com a orientação e supervisão parcial das professoras: Cíntia Carla e Luana Fontelles no processo de criação do Figurino, maquiagem e estudos teóricos de todo o processo de encenação, desde a luz e o cenário. A trilha Sonora é assinada por Romário Miranda e Gabriel Lima.

Outro aspecto importante atrelado ao processo da encenação é a formação do elenco composto por atores em primeiro estágio de atuação teatral. Para a diretora e atriz, possibilitar o envolvimento do jovem nas atividades acadêmico e profissional, no auge da afirmação de suas personalidades é oportunizar a ele uma orientação inteligente.

Sobre a diretora

A atriz Marcélia Belém é atriz, diretora e produtora cultural. Tocantinense, natural de Porto Nacional, atua há 23 anos, sendomais de 20 peças teatrais de autores nacionais e estrangeiros, ambos os trabalhos dirigidos por diretores do Rio de Janeiro, Brasília, Mato Grosso e Tocantins, além do FilmeDeus é Brasileiro de Cáca Diegues, com Antônio Fagundes e Paloma Duarte. Realiza também apresentações dos espetáculos Bonequinha de Pano de Ziraldo; prepara o lançamento do Vídeo Documentário Cena Teatral Palmense; e participará do Caravanas Cênicas de Mediação no Festival Latino Americano e Africano de Cultura e Cena Contemporânea – Festival Internacional de Teatro, realizado em comemoração aos cinqüentenário da Universidade de Brasília, no período de 15 a 22 de julho de 2012, em Brasília. (Ascom FCP)