Cultura

Foto: Divulgação

Tahereh Mafi tem apenas 24 anos e já é considerada uma das principais escritoras de seu tempo. Lançou neste ano, no Brasil, seu primeiro romance de uma trilogia que conta a história de uma jovem chamada Juliette. Entre os adolescentes, a trama já é febre. Na tarde deste último domingo, 08, ela participou de um bate-papo no auditório do Palácio Araguaia, durante a programação da Flit – a Feira Literária Internacional do Tocantins.

“Eu acompanho a literatura jovem. Já li a série Crepúsculo, Jovens Vorazes, dentre outros. E o livro dela me chamou a atenção pelo mesmo motivo: traz um enredo de aventura, de mistério, que prende a gente. Participar desse momento de interação é uma experiência excelente. Eu escrevo e essa interação e troca de informações me ajuda no meu trabalho, ainda mais que estou só começando. Ela também é extremamente simpática e inteligente”, disse o jornalista, Douglas Erson, que foi um dos participantes mais ativos do bate-papo.

Fã, o blogueiro Eder Koldney, também não desperdiçou a chance de tirar todas as dúvidas sobre o trabalho da jovem escritora. “Meses antes do livro ser lançado, eu acompanhei todo o trabalho de divulgação. Fiquei muito interessado na história do romance desde o início. Li o blog dela, pesquisei sobre seu trabalho, e quando a obra foi lançada no Brasil, li tudo em dois dias. A escrita dela é muito boa, prende mesmo. Mal posso esperar pelos outros dois livros e pelo e-book que vai mostrar o conceito do vilão da história, o personagem Warner”, contou.

Tahereh Mafi nasceu em uma cidade pequena em Connecticut e, atualmente, mora no Condado de Orange, Califórnia. Durante a conversa, fez questão de frisar a importância da leitura e de que estar no Tocantins foi uma das melhores experiências da sua vida. Deu também um recado para quem deseja ingressar no mundo da literatura: “Se você realmente quer alguma coisa, tem que ir atrás disso, não deve ter medo de falhar. Há pessoas extremamente talentosas e muitas delas não serão descobertas porque desistiram. O único segredo é o tempo. Se vocês se esforçarem bastante e dedicarem seu tempo à isso, vão conseguir. Mas devem insistir, chegar ao fim do projeto, escrever o livro até o final. Muitas pessoas às vezes pensam que o que estão escrevendo é ruim, mas você precisa tentar, você pode conseguir”, explicou iniciando em seguida uma sessão disputadíssima de autógrafos.

O livro


“Estilhaça-me” é um romance que intriga, angustia e prende o leitor até a última página com uma história surreal que mistura amor, medo, aventura e mistério e traz um desfecho surpreendente.

Conta a história de uma jovem chamada Juliette, que nunca se sentiu como uma pessoa normal, por não poder tocar ninguém. Seu toque era capaz de ferir e até matar. Durante anos, Juliette feriu e, segundo seus pais, arruinou o que estava à sua volta, o que a levou a ser presa numa cela. Mas tudo mudou com a chegada de um companheiro de cela, Adam. Dentro do cubículo escuro, Juliette não tinha notícias do mundo lá fora. Adam ia atualizando-a de tudo. Em um determinado momento, Juliette é retirada da cela e supostamente libertada, ao lado de Adam, e se vê em uma encruzilhada, com a possibilidade de retomar sua vida, mas por caminhos tortuosos e totalmente desconhecidos.

O livro foi publicado no Brasil pela Editora Nova Conceito e está disponível para venda no Estande Ararinha Azul da Flit.