Cultura

Foto: Divulgação

Depois de se apresentar para milhares de pessoas que prestigiaram a Cantata Gonzagueana na Feira Literária Internacional do Tocantins (Flit), na noite deste último domingo, 8, a Orquestra Sinfônica de Teresina realizou uma nova apresentação para o público do evento, desta vez no auditório do Palácio Araguaia, nesta segunda-feira, 9, contando com a presença do secretário estadual da Educação, Danilo de Melo Souza, além de outras autoridades e público geral.

Se na primeira ocasião o foco foi na fusão erudito e popular, desta vez os músicos interpretaram peças de grandes nomes da música clássica mundial, como Johann Strauss (valsa Danúbio Azul), Edgard Elgar (marcha Pompa e Circunstância) e Jean Sibelius (peça Finlândia). Entretanto, sobrou espaço para que os músicos tocassem uma cantata nordestina e a peça da música popular Mourão. Para finalizar, a Orquestra tocou o hino do Tocantins de autoria de Genésio do Tocantins e que, segundo o próprio maestro do grupo, Aurélio Melo, vai entrar para o repertório nas apresentações futuras.

Ainda conforme Aurélio, Palmas está passando pelo mesmo processo pelo qual passou Teresina antes da formação da Orquestra, e que a inserção da música no ambiente escolar pode acelerar até mesmo a criação de uma orquestra local. “A apresentação de ontem (domingo, 8) nos entusiasmou, por isto estamos fazendo mais esta, que, novamente, contou com um público muito bom. Isto indica que há espectadores e admiradores da música erudita por aqui, o que já é o suficiente para que ela seja trabalhada e desenvolvida em todo o Estado. Sem contar que eu soube que nas escolas estaduais daqui também se trabalha a música como complemento curricular. Isto facilita muito a criação de projetos novos; assim aconteceu em Teresina, e por isto pudemos, de maneira menos complicada, formar uma Orquestra jovem e que inova, fazendo a aproximação entre a música erudita e a popular. Em uma orquestra tradicional, isto é mais difícil, o processo já é outro, mais formal. Estamos todos felizes por fazer parte da Flit; o público merece ter acesso a este tipo de música também, e não só àquelas midiatizadas”, afirmou o maestro, complementando: “quem sabe voltamos em 2013 e fazemos um trabalho conjunto com o Balé Bolshoi, que se apresenta hoje (segunda, 09), aqui no evento. Eu adoraria fazer algo do tipo”, finalizou.

Para todos os públicos

Os que acham que música erudita agrada somente a pessoas mais idosas, adultas, estão muito enganados. Prova disto é a pequena Bruna Noleto, de apenas 10 anos, que, acompanhado pela mãe, Maria de Jesus, aproveitou cada momento da apresentação. “Eu gosto de música clássica. Ela é diferente, me faz se sentir bem. Eu ouço muito tipo de música e este tipo é o mais bonito para mim”, falou Bruna. (Ascom Seduc)