Polí­tica

Foto: Divulgação
 

Já nas considerações finais do primeiro debate, os candidatos finalizaram suas participações no programa de TV com propostas e compromissos de campanha. Um a um, cada candidato teve dois minutos para fechar sua passagem pelo debate.

O primeiro a falar foi o candidato Professor Adail que destacou ser um candidato de oposição aos dominantes de Palmas. “Sou candidato palmense. Morador e casado com uma moradora de Palmas. Nós precisamos atender a todos com moradia digna. Contrapor ideias de grupos que comandam este Estado”, completou.

Já a deputada Luana Ribeiro (PR) aproveitou suas últimas palavras no debate desta noite para convidar a população para comparecer ao evento de adesão do ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) à sua campanha. “Podem ter certeza de que vamos cuidar de nossa cidade com muito carinho, muito amor e muita dedicação. Gestão voltada para atender as demandas da nossa população com drenagem, asfalto, saúde e educação. Aumentar as casas populares, nós vamos fazer isto”.  

Em tom mais ácido, o empresário Carlos Amastha (PP) ressaltou que o futuro de Palmas passa primeiro por um processo de renovação política e nos candidatos. “Palmas não é brinquedo que passa de pai para filha. Palmas é coisa séria. Chapa branca ou chapa branca dois. Como falam em parques se eles já estiveram no poder e nunca fizeram? Como falam em infraestrutura e querem aumentar o plano diretor em 15 quilômetros numa cidade muito carente de infraestrutura?”, criticou.

Lelis destacou sua história em Palmas nos 20 anos em que mora na capital do Tocantins. Em sua fala, o deputado lembrou de sua passagem pela Câmara Municipal e por órgãos do Executivo. “Eu cheguei nesta cidade para plantar árvores, fui vereador desta capital e deputado mais votado já em 2006. O combustível que move essa nossa caminhada é um só. O amor irrestrito à esta cidade”, salientou.

Defendendo geração de emprego e renda, o candidato Doutor Luciano focou suas considerações finais em proposta mais subjetivas. “Por que construir um parque, uma rua é muito importante mas não mais importante que a capacitação profissional e a geração de emprego”, disse.

Fábio Ribeiro (PTdoB) salientou que mesmo sem grandes recursos ou tempo de TV, sua campanha será focada no respeito ao eleitor e no desenvolvimento econômico da capital. “Nossa campanha é simples, singela, mas uma campanha com muitas propostas. Construir Palmas com todo mundo que mora aqui. O comércio de Palmas anda com o freio de mão puxado, parado. Isso é desrespeito”, completou.

Aparentemente mais nervoso que os demais, o candidato Abelardo Gomes (PSOL) frisou que não pretende quebrar o monopólio das empresas de ônibus de Palmas. “Vamos criar a empresa municipal de transporte coletivo e reduzir a passagem em 50%”, completou.