Polí­tica

Foto: Divulgação

O candidato a prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP) planeja para a sua gestão, caso venha ser eleito, a realização da maior festa de São João da região Norte do País. Amastha, que adotou o tema nas suas peças publicitárias e no site de sua campanha (http://www.amastha11.com.br), destaca que além da beleza e cultura, as quadrilhas movimentam a cidade e geram empregos diretos e indiretos, além de mais renda nas comunidades.

O projeto prevê a realização de um mês voltado para as manifestações juninas, com eventos durante os finais de semana fortalecendo as competições de quadrilhas, shows nacionais, praças de alimentação entre outros atrativos. O mesmo estará inserido em um calendário anual que será articulado para aquecer o setor de turismo e a economia local.

O candidato, que abriu as portas de um dos seus empreendimentos na cidade para as manifestações juninas, destaca: “as quadrilhas juninas são um espetáculo que mantém viva a tradição e a cultura da nossa região. Como empresário apoiei a realização de eventos do segmento por entender o impacto que ele promove nas comunidades”.

A construção do quadrilhódromo, um local adequado para as apresentações artísticas, está inserido no seu plano de governo. “Neste local específico, que é um sonho dos quadrilheiros, poderão acontecer outros eventos não apenas no mês de junho, o que contribui para tornar Palmas referência na área, além de fomentar a geração de renda para os grupos”, ressaltou Amastha.

De acordo com o presidente da Federação das Quadrilhas Juninas do Tocantins, Cláudio Maranhão, o Estado se destaca a nível nacional, sendo o segundo lugar onde o movimento é mais organizado. “Estamos crescendo, nos organizando melhor. A parceria com a iniciativa privada ajudou bastante, pois conseguimos trazer o campeonato nacional para ‘cá’ e mostrar que em Palmas não deixamos a desejar em relação às cidades nordestinas”, frisou Maranhão.

Uma política de valorização da cultura com a realização de editais para viabilização de recurso também foi defendida pelo presidente da federação. “Com os editais o movimento é valorizado, não há favorecimentos e todos competem em igualdade”, destacou.

Social

Em Palmas, são 22 quadrilhas que promovem a geração de mais de 350 empregos diretos e indiretos, envolvendo mais de 2 mil pessoas, que preparam todo o espetáculo pelo menos seis meses antes do período das festas.

Segundo Cláudio Maranhão, o movimento exerce um papel importante na comunidade envolvendo jovens que deixam de ser coadjuvantes e passam a atuar como protagonistas ao exercerem funções como dançarinos, aderecistas, músicos e em outras áreas que compõem a montagem de um espetáculo junino.

Além disso, o segmento promove ações sociais como oficinas de dança, teatro, música e costura, garantindo o futuro do movimento cultural. Entre as quadrilhas, destacam-se a Caipiras do Borocoxó, Cafundó do Brejo, Pisada da Butina, Girassol do Cerrado, Arrasta pé do Liberdade e Caipiras do Sertão. (Assessoria de Imprensa)