Polí­tica

Foto: Divulgação

Um fato que chama a atenção nestas eleições municipais é que a disputa pelas prefeituras está polarizada entre duas candidaturas em 2.850 Municípios, ou 51,1% do total. É o que mostram os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 20 de julho e consolidados pela Confederação Nacional de Municípios (CNM).

A população que decidirá entre dois candidatos nestes 2.850 municípios alcança a 35 milhões de pessoas, ou 18,5% da população brasileira, e estarão em disputa os votos de 27.1 milhões de eleitores.

A CNM separou os partidos políticos por aqueles que fazem parte da base de sustentação ao Governo Federal (GOV), os que fazem oposição (OPOS) e os partidos que se declaram independentes (INDEP). O resultado é que partidos da base duelam em 45,3% dos municípios, OPOS x GOV em 27,9 e GOV x INDEP em 17,7%.

Os seis maiores duelos somam 837 (29,7%) disputas, envolvendo os partidos, PMDB, PP, PSDB, PSD, PT e DEM. Todos estes com exceção do PSD são partidos tradicionais e bem organizados, mostrando a boa capilaridade política dos grandes partidos. Porém, chama a atenção o novo PSD já estar enfrentando o PMDB em 149 cidades. Fazendo uma avaliação territorial deste fenômeno. Vemos no Mapa abaixo a distribuição dos duelos entre os 6 maiores confrontos no País.

A região Nordeste é a que mais tem confrontos, com 934 (32,8%) dos 2.850 duelos, seguido do Sul, com 768 (26,9%); do Sudeste, com 729 (25,6%); do Centro-Oeste, com 252 (8,8%) e do Norte, com 167 (5,9%). O maior número de confrontos entre o PMDB e o PP ocorre na região Sul (126); entre o PMDB x PSDB na região Sudeste (53); entre o PMDB x PSD na região Sul (57); o PMDB x PT também na região Sul (76); o PT x PSDB tem as maiores disputas na região Sudeste (44) e o PMDB x DEM tem as maiores disputas na região Nordeste (31).

Na eleição de 2008, houve disputas entre somente dois partidos em 2.553 (45%) das cidades, ocorrendo um aumento no número de duelos nesta eleição, o que pode indicar uma maior polarização política no Brasil. (Agência CNM)