Economia

Foto: Divulgação

O comércio pode, nesse mês de setembro, respirar um pouco mais aliviado. Segundo a pesquisa que mede o Índice de Consumo das Famílias na Capital realizada pela Confederação Nacional do Comércio – CNC, em parceria com a Fecomércio Tocantins, foi detectado um crescimento de 1,8 pontos, se comparado ao mês de julho desse ano e de 6,2 pontos se comparado ao mesmo período de 2011. Os demais temas abordados na pesquisa também demonstram dados positivos.

Para o presidente da Fecomércio Tocantins, Hugo de Carvalho, esse aumento se deve a chegada do segundo semestre. “Como todos nós sabemos, o consumo costuma aumentar no segundo semestre do ano devido às inúmeras festividades e datas comemorativas. O comércio deve sentir nos próximos meses essa constatação, não só em Palmas, mas em todo o Estado. O consumo das famílias deve aumentar e nós empresários estaremos preparados para esse aquecimento de mercado”, afirmou.

Dentre os dados positivos na pesquisa desse mês está a satisfação com o emprego atual, a qual subiu e apontou que 80% das famílias se sentem mais seguras com esse item. Além disso, há a satisfação com a renda atual, onde 79,4% acreditam estar melhor. Se comparado ao mês de julho, esse item cresceu 7,1 pontos.

Já com relação ao consumo, 39,7% consideram estar comprando mais que em agosto de 2011 e 53% garantem que sua perspectiva de consumo é maior que no segundo semestre do ano passado. Do total de famílias entrevistadas, 72,2% acreditam que esse período é um bom momento para a compra de bens duráveis.

A estudante Ismênia Alves Tomé é um exemplo do aumento de consumo. Segundo ela, as compras foram realizadas todas no início do mês conforme ela havia planejado para haver um maior equilíbrio nas finanças do mês de setembro. Ela consumiu mais que no mês de agosto, já que estava poupando para o começo de setembro.

Os únicos pontos que apresentaram queda foram o acesso ao crédito e a perspectiva profissional. Segundo o ICF, com relação ao acesso ao crédito, houve um decréscimo de 6,5 pontos e a perspectiva profissional registrou 4,1 pontos negativos.