Polí­tica

Foto: Divulgação Juiz da 29ª Zona Eleitoral de Palmas, Marcelo Faccioni Juiz da 29ª Zona Eleitoral de Palmas, Marcelo Faccioni

O juiz da 29ª Zona Eleitoral de Palmas, Marcelo Faccioni, deferiu o pedido do corpo jurídico da coligação “Um novo caminho é possível”, que tem como candidato a prefeito de Palmas o pepista Carlos Amastha, para suspensão imediata de uma propaganda por conter, segundo a coligação do pepista, irregularidades distorcendo fatos noticiosos, não retratando fielmente as informações.

Carlos Amastha afirma que não vai se curvar diante “de tantos ataques que estão sendo imputados a mim. Vamos continuar com nossa ideia de propostas propositivas pensando sempre no bem-estar do povo palmense”, destacou o pepista que aproveitou para ressaltar que sua confiança é plena na justiça.  

O corpo jurídico da coligação ressalta que a justiça está atenta e não “vai permitir os mesmos golpes do passado”. Esta semana, segundo a coligação de Amastha, Marcelo Lelis manipulou um processo, dando a entender que Carlos Amastha foi condenado a pena de prisão. Segundo a coligação, a justiça corrigiu e o juiz eleitoral mandou retirar a propaganda irregular do ar.

Amastha responde processo por calúnia, e, segundo sua assessoria, jamais poderia ser preso por isso. “A pena foi substituída por restritiva de direito em cinco salários mínimos. Agora, Amastha vai processar Marcelo Lelis, por crime de calúnia, injúria e difamação”, informa a coligação do pepista.