Estado

Foto: Divulgação

A vida de Jaqueline da Silva, de 15 anos, poderá ter um novo rumo com as realizações de exame de DNA para reconhecimento da paternidade, disponibilizado pela Defensoria Pública, no Mutirão da Conciliação realizado no município de Guaraí, nesta sexta-feira, 21. A adolescente que nunca conheceu o pai é criada pela avó materna, após a mãe falecer há três anos devido a Aids. Sem condições de manter o sustento da neta, a viúva Maria Soares, de 82 anos, trouxe Jaqueline para fazer o exame com o suposto pai, o comerciante Paulo Speth, buscando melhorar a vida da menina.

“Não tenho condições de ajudar ela neste momento, pois tenho outra neta (irmã de Jaqueline) que também crio, e esperava hoje também resolver a sua vida com o outro companheiro da minha filha que não compareceu para fazer o exame. Quero o nome do pai no registro das meninas e conseguir o que é de direito delas, sendo que a mais nova foi contaminada pela doença da mãe e precisa de tratamento”, disse dona Maria.

O Mutirão de Conciliação em Guaraí atendeu somente nesta sexta-feira cerca de 450 pessoas. Foram 170 atendimentos realizados; sendo 53 coletas para exames de DNA, representando 220 pessoas contempladas para reconhecimento de paternidade de forma gratuita.

A assistida M.M., de 27 anos, também recebeu atendimentos da Defensoria Pública por meio do Mutirão.  A doméstica tem três filhos, sendo um de cada pai e conseguiu, nesta sexta-feira, 21, fazer o exame de DNA com o suposto pai do filho mais velho de nove anos. “O mais importante é o carinho que meu filho nunca teve do pai. Sem a Defensoria Pública, não teria jamais condições de fazer este exame. Quero e preciso de ajuda para criá-los. Já tenho uma ação em andamento na Defensoria Pública para garantir pensão a minha filha de dois anos e até agora tudo está correndo bem”, disse.

O atendimento em Guaraí foi realizado pelos defensores públicos Adir Pereira Sobrinho, Mary de Fátima Ferreira de Paula, Evandro Soares da Silva, Neuton Jardim dos Santos, Maciel Araújo Silva, Marlon Costa Luz, Andréia Goseling, Leonardo Oliveira e Teresa de Maria Sousa.

O diretor do Núcleo Regional da Defensoria Pública em Guaraí, Leonardo Oliveira, ressaltou a importância do Mutirão de Conciliação para atender as demandas da comunidade carente de Guaraí, superando as expectativas de público, e propiciando exames de DNA de forma gratuita, garantindo a efetivação de direitos, cidadania e dignidade ao cidadão.

Para a defensora Andréia Goseling, a conciliação é de extrema importância uma vez que possibilita às partes dar fim a um litígio de forma imediata. A conciliação mais que solucionar conflitos ajuda a pacificar a sociedade.

A abertura do Mutirão foi feita pelo defensor público geral, Marcello Tomaz de Souza. O Mutirão de Conciliação integra a Campanha Nacional “Ensinar, prevenir, conciliar: Defensores Públicos pela garantia extrajudicial dos direitos”, e já foi desenvolvido nos Núcleos Regionais de Palmas, Porto Nacional, Dianópolis, Paraíso, Araguatins, Tocantinópolis e Guaraí. A próxima Regional da Instituição a receber o Mutirão será Araguaína, no dia 28 de setembro. (Ascom Defensoria)