Polí­tica

O governo do Estado encaminhou nota sobre as declarações do deputado estadual e vice-prefeito eleito em Palmas, Sargento Aragão (PPS), feitas durante a parte da manhã desta terça-feira, 9, na Assembleia Legislativa do Tocantins. Na nota o governo afirma que o governador Siqueira Campos (PSDB) lamenta o fato de um parlamentar de oposição "usar da prerrogativa da imunidade para, na tribuna da Casa de Leis, sem qualquer prova, num discurso claramente com viés eleitoreiro, lançar suspeitas levianas, irresponsáveis com o claro objetivo de denegrir sua imagem”, diz na nota.

Aragão acusou o governador de ter recebido dinheiro para compra de votos na véspera da eleição do último domingo, 7. O governo explicou também que Siqueira cumpriu agenda de compromissos em oito municípios no mesmo dia com despesas pagas pelo PSDB estadual e conta que o Chefe do Executivo estadual foi abordado por uma blitz de agentes federais.

“No trajeto do aeroporto até a residência do governador em seu retorno a Palmas, a comitiva foi abordada por uma blitz de agentes federais. Prontamente, o Governador, como cidadão, franqueou o trabalho dos agentes e autorizou, sem descer do veículo, que eles procedessem normalmente as suas atividades”, explica a nota.

O governo do Estado informou ainda que vai solicitar à Delegacia Regional da Polícia Federal em Palmas que esclareça os fatos perante à opinião pública e informou também que a Anac e Infraero dispõem de documentos, imagens, relatórios de voos e condições para total elucidação e desqualificação e improcedência do que a nota chamou de “ fantasiosa” e “irresponsável” afirmação do parlamentar.

Veja  a íntegra da nota:

NOTA – GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS

Em relação ao pronunciamento do deputado Sargento Aragão feito nesta manhã, na Assembleia Legislativa, o Governador Siqueira Campos lamenta o fato de um parlamentar de oposição usar da prerrogativa da imunidade para, na tribuna da Casa de Leis, sem qualquer prova, num discurso claramente com viés eleitoreiro, lançar suspeitas levianas, irresponsáveis com o claro objetivo de denegrir sua imagem.

Sobre o ocorrido no sábado, 6 de outubro, o Governo do Estado esclarece que:

1 – O Governador Siqueira Campos cumpriu agenda de compromissos políticos em Porto Nacional, Brejinho de Nazaré, Aliança do Tocantins, Paraíso do Tocantins, Monte Santo, Itaporã, Pequizeiro e Presidente Kennedy, com chegada ao aeroporto de Palmas às 18h35. Os deslocamentos feitos pelo Governador no interior do Tocantins feitos com aeronaves (helicóptero e avião) locados e com despesas pagas pela Direção Regional do PSDB no Tocantins.

2 – No trajeto do aeroporto até a residência do Governador em seu retorno a Palmas, a comitiva foi abordada por uma blitz de agentes federais. Prontamente, o Governador, como cidadão, franqueou o trabalho dos agentes e autorizou, sem descer do veículo, que eles procedessem normalmente as suas atividades. Os agentes, ao reconhecerem o Governador, autorizaram – por iniciativa própria – a passagem do veículo pela blitz. Com isso, a comitiva seguiu normalmente o trajeto do aeroporto até a residência do Governador.

3 – Logo após o ocorrido, o superintendente Élzio Vicente da Silva e o corregedor da Polícia Federal no Tocantins Wandeci Aparecido Vieira Rocha solicitaram, através de contato com o secretário estadual da Segurança Pública, João Coelho, audiência com o Governador para esclarecer o episódio. A audiência foi prontamente atendida pelo Governador, que recebeu as autoridades em sua residência.

4 - Conforme o relato do superintendente e do corregedor, a Polícia Federal recebeu denúncia anônima, segundo a qual, um carro estaria vindo do aeroporto em atitude suspeita. E, na blitz, o veículo onde estava o Governador foi abordado, como diversos outros. Ao constatar a presença do Governador no interior do veículo, que regressava de viagem e tendo recebido do mesmo a concordância para que suas obrigações fossem cumpridas, decidiram os mesmos permitir o prosseguimento normal do deslocamento.   

5 – Diante do relato do superintendente e corregedor da PF, o Governo do Estado vai solicitar à Delegacia Regional da Polícia Federal em Palmas que esclareça os fatos perante à opinião pública. E informa que a Anac e Infraero dispõem de documentos, imagens, relatórios de voos e condições para total elucidação e desqualificação e improcedência dessa fantasiosa e irresponsável afirmação do parlamentar. Até porque cabe destacar que todas as atividades ocorridas em aeroporto, como voos, decolagens, movimentação, filmagem do pátio, nome dos passageiros, tudo isso é devidamente registrado por imagens. O que desmentirá – cabal e formalmente – deixando desqualificada a lamentável afirmação feita pelo parlamentar.

6  – O Governador Siqueira Campos faz questão de ressaltar que respeita a ação dos agentes federais que naquele momento cumpriam a missão de zelar pela segurança em período eleitoral.

7 – Já o parlamentar, em respeito ao cidadão, tem agora o dever moral de – perante a opinião pública e as autoridades constituídas – apresentar elementos que comprovem tais acusações.

Governo do Estado do Tocantins