Polí­tica

Foto: Divulgação

Em entrevista ao Conexão Tocantins nesta terça-feira, 6, o vereador eleito da capital Iratã Abreu (PSD) negou a intenção de pleitear a presidência da Câmara, conforme chegou a ser cogitado nos bastidores por alguns vereadores. “ Não é minha prioridade”, esclareceu.

Iratã, filho da senadora Kátia Abreu, analisou também que o debate para a eleição da mesa diretora ainda é precoce e que é preciso “esperar a poeira baixar”. O novo vereador integra o grupo de eleitos que vão assumir na Câmara pela primeira vez e participa das primeiras articulações deste grupo para a disputa da mesa diretora. “ Não tenho dificuldade de apoiar um nome”, ressaltou ao frisar a necessidade de buscar o entendimento.

No grupo dos novatos o nome mais cotado é o do peemedebista Rogério Freitas mas outros eleitos querem ter a chance de discutir e lançar o nome caso sejam apoiados pelo grupo. Falando sobre seu posicionamento na Casa de leis, Iratã ressaltou que se mantém na base onde foi eleito e cogitou a possibilidade de ser líder do bloco de oposição.

Com relação ao próximo prefeito eleito Carlos Amastha (PP) o vereador disse que vai trabalhar em prol da cidade de acordo com as principais demandas. “Amastha tem meu respeito e torço para que ele faça uma boa gestão”, pontuou.

Além de Iratã o PSD tem ainda como representante na Casa de leis o vereador Valdemar Júnior, um dos quatro que conseguiu reeleição.

Disputa

A disputa pela presidência da Câmara ainda está em fase de articulação mas os novatos tentam fechar o grupo da maioria para eleger o novo presidente. Sem ser do grupo outros nomes como o vereador José do Lago Folha do PTN e Jucelino Rodrigues do PTC também declararam intenção de disputar. Também do PMDB, Joel Borges está com o nome à disposição, segundo revelou ao Conexão Tocantins, Emerson Coimbra seu colega de partido.