Polí­tica

Foto: Divulgação

A estimativa é que a maioria dos prefeitos eleitos no Tocantins recebam as prefeituras com dívidas e pendências financeiras, segundo informou o presidente da Associação Tocantinense de Municípios, prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto ao Conexão Tocantins nesta terça-feira, 13.

O presidente está em Brasília onde participa de mobilização nacional organizada pela Confederação Nacional dos Municípios – CNM com o objetivo de pedir que a presidente Dilma Rousseff  adote medidas para que as prefeituras possam recuperar a frustação de receitas. “96% das prefeituras não conseguem fechar contas se não houver por parte da presidente da república uma medida que venha recuperar o  que as prefeituras perderam”, disse.

No Tocantins a situação é pior por que as prefeituras do Estado têm o menor Fundo de Participação dos Municípios – FPM do país, segundo conta o presidente. “ O governo precisa socorrer as prefeituras porque diminuiu a arrecadação dos municípios”, sustenta.

No Estado, muitas prefeituras estão funcionando com apenas dois secretários e a maioria dos prefeitos já exonerou os servidores comissionados. Ainda assim, muitas dívidas e compromissos não cumpridos ficarão para os próximos gestores. “Com certeza a maioria vai repassar a prefeitura sem honrar os compromissos por falta de recursos”, afirmou.

Fechando a gestão com os municípios inadimplentes os atuais prefeitos devem se complicar na justiça. “ A situação é complicada por que maioria dos prefeitos vão se tornar ficha suja em razão das contas rejeitadas”, salientou.