Economia

Foto: Divulgação

Analisar e medir o impacto da conjuntura econômica nas micro e pequenas empresas (MPE) tocantinenses e suas expectativas. Esse é o objetivo da Pesquisa Conjuntural das MPE no Tocantins, desenvolvida pelo Sebrae/NA, em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Aplicada (FIPE), divulgada neste mês de novembro em Brasília.

Para gerar o Índice de Confiança das MPE (ICMPE), as respostas dos empresários foram medidas em uma escala de 0 a 200, na qual 100 é o ponto de equilíbrio. Acima dele, o resultado é considerado positivo, com tendência de expansão das atividades. Essa metodologia foi criada pelo Sebrae com base nos indicadores de confiança da Universidade de Michigan e do Conference Board dos Estados Unidos, referência mundial em pesquisas econômicas.

Nessa 2ª edição os dados apontam para uma melhoria no ICMPE de 123 pontos. Esse é o melhor resultado do Tocantins, pois em agosto o índice foi 111 e em setembro 118. Dessa forma o índice de outubro representa um aumento de 4,24% em relação ao mês anterior. O indicador tocantinense ficou próximo ao nacional, que fechou em 124 pontos em outubro e representou um recorde desde que começou a ser calculado, em abril deste ano.

A pesquisa também revelou que no Tocantins 31% dos empresários faturaram mais em setembro do que em agosto. No país, esse índice foi de 30% e, na região Norte, de 35%. O estado também apresentou um índice maior que a média nacional em relação à expectativa de ampliação do faturamento: 78% dos empresários tocantinenses acreditam no crescimento para os próximos três meses. Esse resultado aponta um aumento na expectativa de 15,15% com relação a pesquisa do mês anterior. No Brasil, o número chegou a 72%.

Já com relação a ocupação de pessoal cerca de 21% das empresas afirmaram que esperam “aumento” no período de outubro a dezembro (comparado com trimestre anterior), 78% esperam “estabilidade” e apenas 3% esperam “redução”.

A pesquisa aponta ainda que no Tocantins o setor de comércio e serviços são os setores que mais acreditam no cenário econômico brasileiro, com 125 pontos e 123 respectivamente, seguidos pela indústria (118) e da construção civil (116).

Outros dois índices medidos na pesquisa são o Índice de Situação Atual (ISA) e o Índice de Situação Esperada (ISE). Em relação ao ISA o índice apontado, foi de 103 pontos, expressando uma melhoria no índice com relação ao mês anterior. “Esse índice reflete uma situação de expansão nas atividades empresariais das MPE tocantinenses com relação ao faturamento e ocupação de pessoal ”, esclarece o analista técnico do Sebrae Tocantins, Emerson Montenegro.

Por outro lado o ISE medido em outubro foi de 144 pontos, o que representa um aumento de 5,88% com relação ao mês anterior. “O ISE expressa uma tendência positiva do empresariado tocantinense quanto a expectativa de melhoria para os próximos 03 meses das variáveis de faturamento ocupação de pessoal, certamente impulsionado pelo aumento das compras de final de ano”, pontua o analista.

A superintendente do Sebrae, Márcia Rodrigues de Paula, comentou que os resultados mostram que os empresários das micro e pequenas empresas no Tocantins estão confiantes e isso é muito bom para economia local. “O Sebrae trabalha constantemente no desenvolvimento de ações em todo o Estado que propiciem um ambiente legal favorável para que as estes empresários sejam competitivos e sustentáveis. Por este motivo, é importante que os empresários se conscientizem cada vez mais e busquem no Sebrae o conhecimento necessário para o desenvolvimento e crescimento de suas empresas”, concluiu. (Ascom Sebrae)