Estado

Foto: Divulgação

Há cerca de 10 dias, o Brasil deu início à mobilização para valorização da vida com o lançamento da Campanha “Conte até 10”, promovida pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) com o objetivo de reverter o elevado número de homicídios cometidos por motivo fútil. No Tocantins, o Ministério Público Estadual (MPE) faz o lançamento regional nesta terça-feira, 27, na Escola Rachel de Queiroz, no setor Aureny III, em Palmas.

A iniciativa faz parte da Estratégia Nacional de Segurança Pública (ENASP) e tem apoio do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Ministério da Justiça. Para marcar o lançamento da campanha no Estado, o MPE, Ministério Público Federal, Defensoria Pública do Estado, Secretarias da Educação, de Segurança Pública e Secretaria de Justiça e Direitos Humanos assinam Termo de Cooperação técnica em que se comprometem a tornarem-se parceiros no desenvolvimento de ações voltadas para o alcance dos objetivos da campanha.

De acordo com o Mapa da Violência 2012, divulgado pelo Ministério da Justiça, foram registrados 49.932 homicídios no Brasil em 2010. O número representa uma média de 26,2 assassinatos para cada grupo de cem mil habitantes, o que coloca o país entre os mais violentos do mundo.

Boa parte desses crimes são cometidos em atitudes impulsivas ou por motivos fúteis e poderiam ter sido evitados se a calma fosse mantida. Segundo levantamento organizado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), entre 2011 e 2012, os homicídios por impulso e por motivo fútil representaram de 25% a mais de 80% dos crimes cometidos, a depender do Estado. De acordo com o coordenador regional da Enasp, procurador de Justiça Marco Antônio Alves Bezerra, apesar de não haver, no Tocantins, um levantamento detalhado, acredita-se que o percentual no Estado chega a 30%.

Para evitar essas mortes, a Campanha que traz lutadores mundialmente reconhecidos propõe contar até dez e manter o controle. As ações visam promover uma reflexão acerca dos homicídios cometidos por ímpeto, em situações como brigas de bar, de trânsito ou entre vizinhos, dentre outros. A ideia é fomentar a cultura da paz e de não reação nos casos que podem gerar violência.

Campanha educativa

Quatro atletas estrelam os filmes da campanha, que estão sendo veiculados gratuitamente pelas principais emissoras de TV do país. Anderson Silva, campeão mundial peso-médio do UFC; Júnior Cigano, campeão mundial peso-pesado do UFC, Leandro Guilheiro, judoca bicampeão olímpico; e Sarah Menezes, judoca campeã olímpica em 2012. Nenhum deles cobrou cachê. Entre as mensagens disseminadas estão “Quem é da paz não briga”, “A raiva passa. A vida fica” e “Sua vida vale mais que qualquer briga”.

Participam do evento, o Procurador-Geral de Justiça, Clenan Renaut de Melo Pereira, o procurador de Justiça Marco Antônio Alves Bezerra, membros do MPE, parceiros, representantes de entidades e comunidade em geral. (Ascom MPE com informações do CNMP)