Economia

Foto: Divulgação Presidente do Prodivino, Isamar Moraes Ribeiro Presidente do Prodivino, Isamar Moraes Ribeiro

O Governo do Estado firmou mais uma parceria para oferecer crédito a microempresários, empreendedores individuais e pessoas físicas que desejam montar um negócio e assim melhorar sua qualidade de vida. A informação foi dada pelo presidente do Prodivino - Instituto Social Divino Espírito Santo, Isamar Moraes Ribeiro, que acompanhou os representantes do Banco do Brasil na reunião com o governador Siqueira Campos, realizada na tarde da última quarta-feira, 5.

Segundo o presidente, o convênio de cooperação que deve ser assinado ainda esta semana é resultado de uma proposta do Banco do Brasil, que procurou o Prodivino. “Já temos um convênio com a Caixa Econômica Federal que possibilita a concessão de microcréditos e este com o Banco do Brasil vem somar, como aliado no propósito de dar oportunidade para as pessoas empreenderem novos negócios e consequentemente promover o desenvolvimento de nosso Estado”, afirmou.

O Programa Microcrédito Produtivo Orientado traz o diferencial pela capacitação que a população terá para melhor investir o recurso. “Já estamos elaborando uma parceria com o Sebrae para que nossos servidores recebam a capacitação e assim repassem aos usuários que desejam contrair um financiamento. A capacitação aos servidores começará de imediato e até o final de janeiro a população já terá acesso ao crédito”, destacou Isamar.

O crédito a ser destinado ao convênio, segundo Isamar, é de acordo com o número de propostas e da capacidade que as equipes do Banco do Brasil e do Prodivino terão de atender, dentro dos requisitos que regem o contrato. “O banco tem até R$ 100 milhões para conceder empréstimos nesta modalidade e tudo só depende da população e de nossos esforços. Lembrando que o cidadão, microempresário ou empreendedor individual poderá pegar de R$ 300 a R$ 15 mil, definidos a partir de resultado da avaliação de risco de crédito”, enfatizou.

As principais exigências para acessar o crédito são: não ter restrições cadastrais junto ao Cadin - Cadastro Informativo de créditos não quitados do setor público federal, Serasa - Centralizadora dos Serviços dos Bancos S/A e SPC – Serviço de Proteção ao Crédito; ser correntista do banco e ter mais de 18 anos. “A documentação a ser apresentada é a de praxe em todo este tipo de transação, que são documentos pessoais, comprovantes de renda e endereço, entre outros”, informou Isamar.

A taxa de juro aplicada é de 0,64 ao mês o que, segundo o presidente, configura o valor social do programa. “Esta taxa é muito abaixo do que os bancos praticam e se dá justamente pelo objetivo do programa, que é beneficiar os municípios com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) baixo, promovendo assim o aquecimento da economia, geração de empregos e consequentemente maior arrecadação do Estado”, destacou.

Outras linhas

Isamar destacou ainda que as linhas de crédito oferecidas pelo órgão continuam sendo praticadas e fez um balanço dos números alcançados nos últimos dois anos. “Emprestamos mais de R$ 27 milhões através do programa Nossa Oportunidade, que chegou a mais de 100 cidades, e mais de R$ 8 milhões no programa de Assistência ao Servidor”, finalizou.