Economia

Foto: Divulgação

Com a proposta de regularizar e restabelecer as linhas de financiamento tanto para servidores estaduais como para microempreendedores tocantinenses, o Governo do Estado, por meio do Banco do Empreendedor (BEM), está convocando usuários inadimplentes a buscar o órgão para a renegociação dos débitos. A medida faz parte da política de recuperação de créditos adotada pela nova gestão da instituição para recuperar os recursos que foram emprestados e não estavam recebendo a devida cobrança, à época em que o instituto ainda era o antigo Prodivino.

De acordo com o presidente do órgão, Acy de Carvalho Fontes, um termo assinado em maio, junto ao Instituto de Estudos e Protesto de Títulos do Brasil, Seção Tocantins, vai possibilitar o protesto em cartório dos inadimplentes com o banco. Na prática, tanto os devedores em atraso do Microcrédito e do Programa de Assistência Financeira ao Servidor Público terão as dívidas protestadas. “Estamos buscando junto ao departamento de Recursos Humanos de cada secretaria e órgão estadual, os contatos de servidores para que possamos realizar as renegociações. Mesmo assim, solicitamos que aquele que estiver inadimplente nos procure, para que possamos entrar em acordo quanto a quitação dos débitos”, afirmou.

Renegociação

Ainda sobre os trabalhos de renegociação junto a pequenos empreendedores do Estado, Acy de Carvalho informou que, até o momento, já foram recuperados mais de R$ 2 milhões em renegociações de dívidas junto ao órgão. “Estes valores serão reaplicados na disponibilização de novas linhas de financiamento. Mas, para isso, precisamos finalizar os trabalhos de cálculos e quitação das dívidas para que assim possamos disponibilizar o acesso ao crédito”, ressaltou.

 Desde março, os inadimplentes de empréstimos na modalidade Microcrédito têm a disposição uma facilidade a mais para quitarem suas dívidas. O Banco do Empreendedor está concedendo de 20% até 70% de desconto nos juros e nas multas dos empréstimos atrasados. Inadimplentes com mais de 90 dias de atraso já se enquadram nos critérios para renegociação.