Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Militar do estado trabalha com déficit na corporação sendo assim a estratégia do Comando Geral para este fim de ano será  designar PMs dos setores administrativos para as ruas. “ Para este natal e ano novo estamos enxugando a administração buscando fazer o melhor. Vamos tirar o pessoal da parte administrativa para aumentar o efetivo nas ruas”, informou o Comandante Geral Luis Cláudio Benício ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 17.

O Comandante conta que vem tentando readequar algumas escalas dentre outras alterações para suprir a necessidade. “ Estamos estribuchando, recompensando policiais em algumas situações. Temos que ter o concurso logo”, salientou.

O Comandante questionou ainda a demora para realização do certame, causada, segundo ele, pela burocracia do processo burocrático. “ Isso já era  para ter sido feito. A lei permite que por causa da urgência o concurso seja feito sem licitação”, disse. Ainda falta a definição da empresa que fará o certame.

O concurso vai prever apenas 300 vagas mas o Comandante conta que a necessidade da corporação é maior. “Se eu falar que atende a necessidade eu estaria mentindo. Seria bom se fossem mais vagas mas neste concurso não tem como aumentar mais”, admitiu.

A perspectiva do presidente é colocar na rua em todo o Estado dois mil policiais por dia.

A licitação

A empresa Consulplan de Minas Gerais  e a Empresa de Seleção Pública e Privada (ESPP) de São Paulo foram classificadas para a próxima etapa da licitação do certame mas Assessoria em Organização de Concurso Público (AOCP) entrou com recurso. Falta a apresentação da proposta financeira para a definição. O presidente da Comissão do concurso é o tenente-coronel Jaison Veras Barbosa.

A previsão é que o edital seja publicado ainda este ano.O salário inicial para os novos soldados será de mais de R$ 3 mil.