Polí­tica

Foto: Divulgação

Passadas as eleições de 2012 e com as novas administrações municipais já em atividade, alguns partidos planejam mudança de postura para este ano. Sem grandes alianças que tornaram seu tempo de rádio e TV bastante reduzidos nas eleições de Palmas no ano passado, o PSOL estuda uma mudança de postura para 2013.

De acordo com o professor Antônio Chadud Jorge, membro do partido, a atual postura do PSOL não tem sido condizente com sua origem esquerdista-socialista. Jorge frisou que a meta para este ano é trazer o partido de volta às raízes traçadas por figuras como Heloisa Helena, Chico Alencar e Luciana Genro.

Neste sentido, o membro-fundador da executiva nacional do PSOL esteve em Palmas durante o final de semana realizando seminários e reuniões com membros do partido e pessoas interessadas, a fim de mobilizar uma nova tendência dentro da sigla no Estado. “Nossa atual conduta é de repensar o PSOL. Não temos pretensões eleitoreiras. É trazer o partido para a esquerda socialista”, disse Antônio Chaudud Jorge

Tostão avaliou de forma positiva as reuniões realizadas em Palmas. De acordo com o membro da nacional do PSOL, os membros da legenda de Palmas demonstraram vontade de reorganizar a conjuntura partidária e retomar o crescimento da sigla. “Avalio de forma bastante positiva. Senti uma disposição muito grande de fazer uma retomada do partido. Entre 2004 e 2009, nós vínhamos em um crescimento lento, mas constante. Depois houve uma dispersão”, complementou.

Um dos objetivos para esta nova conjuntura partidária do PSOL será a estruturação de diretórios definitivos tanto no Estado, quanto no Município. “Nós ainda não conseguimos organizar isso. Vivemos ainda com comissões provisórias, diretórios provisórios. Precisamos ter uma representatividade definitiva para que o Tocantins tenha também representantes nos nossos congressos nacionais”, elencou.

Reuniões

Durante a passagem de Tostão, como Fernando Silva é conhecido, pela capital do Tocantins, foram realizadas reuniões e seminários em diversos pontos da cidade, no sentido de mobilizar a população e o diretório partidário. “Nós fizemos (as reuniões) em Taquaruçu, na Fapal (Faculdade de Palmas) e na UFT (Universidade Federal do Tocantins)”.