Cultura

Foto: Adilvan Nogueira

O conselheiro cultural da embaixada da China, Zheng Kejun e o adido civil, Li Zexuan reuniram-se com a secretária da cultura, Kátia Rocha, no final da tarde desta última terça-feira, 29, em seu gabinete. Participaram da reunião os secretários Danilo de Melo Souza (Educação), Divaldo Rezende (Meio Ambiente), o reitor e o vice-reitor da Unitins - Fundação Universidade do Tocantins, Joaber Macedo e Arison José Pereira.

Durante o encontro a secretária apresentou o potencial cultural e artesanal do Tocantins por meio de material fotográfico com as belezas naturais do Estado, falou sobre a história do capim dourado, projetos de sustentabilidade e apresentou peças em capim dourado, cristal e babaçu, que encantaram o conselheiro Zheng Kejun. “Estou impressionado com o brilho natural deste artesanato, parece ouro. Com certeza, irá chamar muito a atenção dos chineses”, disse o conselheiro, por meio de seu intérprete.

Com o interesse demonstrado pelos representantes chineses pelo artesanato tocantinense, a secretária fez o convite para futuros intercâmbios. “Além de intercâmbio em exposições, como a participação na Fecoarte, a China também pode enviar designers ao Tocantins que possam criar algumas peças específicas em Capim Dourado”, disse.

Ao final da reunião, o conselheiro convidou o Tocantins a participar do ano do Brasil na China que acontece em setembro deste ano e falou do seu interesse em realizar uma exposição do artesanato tocantinense na China. “Achamos melhor fazer uma exposição na China porque é um material diverso e rico”, disse Zheng Kejun ressaltando ainda sobre as diversas possibilidades de trocas de conhecimentos por meio das Universidades da China, como o Instituto Cênico, Artístico e Artesanal da China, com sede em Pequim. “Vou levar estas mostras para o Instituto que com certeza terá interesse em realizar este intercâmbio”.

Na reunião também foi discutida possíveis parcerias com a Fundação Universidade do Tocantins como intercâmbio educacional na área de Ciências Agrárias e Ensino à Distância.

Os representantes chineses conheceram ainda a cultura do povo Karajá, por meio da exposição permanente “Ritxoko Arte e Cosmo pelas mãos da mulher Iny”, localizada no mezanino da Pasta e ao final do encontro Kátia Rocha presenteou todos com kits em capim dourado, além de outros materiais culturais do Estado. (Ascom Fundação Cultural)