Saúde

Foto: Divulgação

Na tarde desta terça-feira, 26, a secretária de Estado da Saúde, Vanda Paiva, reuniu-se com técnicos do Ministério da Saúde para discutir a implantação do sistema de captação e transplante de órgãos no Tocantins. Participaram da reunião a representante do SNT - Sistema Nacional de Transplantes, Hilda Ruffo, o professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Silvano Raia, o diretor Geral do Hospital Geral Público de Palmas, Paulo Faria, além da diretora administrativa, Renata Duran, e outros médicos do hospital.

Durante o encontro, Vanda Paiva assegurou que o Governo do Estado quer agilidade nessa questão, para tanto está preparando o HGPP para oferecer com qualidade mais esse serviço. “Nós já separamos uma sala no hospital para a criação de um Banco de Olhos (setor responsável por captar e preparar tecidos oculares para transplantes). Também já foi providenciada a compra de equipamentos e a capacitação da equipe multiprofissional do HGPP para que o serviço comece a funcionar o mais rápido possível”, revelou. A secretária disse ainda que a sala da oftalmologia servirá não só para o transplante, mas também para a realização de cirurgias de catarata, retina e glaucoma.

De acordo com a representante do SNT, o objetivo do MS - Ministério da Saúde - é que todos os Estados do País realizem pelo menos o transplante de córneas e de rins. Para que isso aconteça o MS instituiu no final de 2012, por meio da Portaria nº 2.172/2012, a tutoria em doação de órgãos e transplantes, com o objetivo de estimular centros de excelência a capacitar serviços que queiram melhorar ou iniciar a realização desse tipo de cirurgia. “Com isso vamos conseguir realizar mais transplantes no SUS, diminuir as filas de espera e os custos com TFD – Tratamento Fora de Domicílio”, esclarece Hilda Ruffo.

O tutor dos serviços no Tocantins será o conceituado médico, Silvano Raia, PhD pela Universidade de Londres e membro da Academia Nacional de Medicina. Ele explicou que o processo de implantação do serviço de transplante passa por diferentes etapas. “Haverá o acompanhamento de todo o trabalho, além disso, serão oferecidos cursos em entidades de referência para os profissionais que realizarão o serviço aqui no Estado”.

De acordo com a portaria, ao final da atividade de tutoria os profissionais deverão estar aptos a desenvolver de forma autônoma o processo de doação e transplantes de órgãos e tecidos, no âmbito de sua área de atuação.

No Tocantins, o primeiro tipo de transplante que será realizado é o de córneas, isso porque esse tipo de procedimento exige estrutura e logística de menor complexidade, por se tratar de manuseio de tecido e não de órgãos, como explica a médica oftalmologista do HGPP, Núbia Cristina de Freitas. Ela, que também participou da reunião, ressaltou que há algum tempo o hospital tem buscado se adequar para oferecer o serviço. “Dos 10 oftalmologistas que compõem a nossa equipe, metade já possui treinamento específico para fazer transplante e a outra metade tem interesse na qualificação. Nós também já formalizamos parcerias com o Corpo de Bombeiros e com o IML – Instituto Médico Legal – para a captação e preservação de córneas”, disse a médica.

A secretaria Vanda garantiu que há uma disposição do Governo para que outros tipos de transplantes também sejam realizados no Tocantins, mas que nessa primeira etapa serão priorizados o de córneas e o de rins.

A representante do SNT explica que para dar início a tutoria é preciso que o Estado se cadastre ao programa específico do MS e que o projeto de implantação seja aprovado pelos gestores municipais na CIB - Comissão Intergestores Bipartite. De acordo com a secretária todas as providências serão tomadas para que as atividades sejam iniciadas com agilidade. (Ascom Sesau)