Esporte

Foto: Divulgação

O ano competitivo dos judocas tocantinenses teve início neste último domingo, 3, no Ginásio de Esportes da Escola Municipal de Tempo Integral Eurídice Ferreira de Mello (ETI-Sul), com a abertura da 1ª etapa do Tocantinense de Judô 2013, que contou com a participação de sete equipes e um total de 126 atletas. Durante a cerimônia que deu início às atividades competitivas, que foi realizada pelo presidente da Federação de Judô do Estado do Tocantins (Fejet), Georgeton Pacheco, o presidente da Fundação Municipal de Esportes, Cleyton Alen, também se pronunciou, falando positivamente da modalidade, anunciando, ainda, o firmamento de uma parceria com a Fejet.

De acordo com Cleyton, que já foi judoca, o Judô é uma modalidade completa e merece ganhar mais atenção por parte do poder público. “Eu já pratiquei Judô, por isto, sou um pouco suspeito para falar; mas, ele é um esporte muito querido no País, pois ensina aos praticantes a terem disciplina dentro e fora dos tatames. Além disto, a Fejet é a Federação mais organizada aqui do Estado, é aquela que realiza todo um campeonato sem contar com tanto apoio. Agora, com o nosso apoio, nós podemos potencializar todas estas atividades. Neste esporte, aqui no Tocantins, nós temos muitos bons atletas e queremos aproveitar estes talentos para darmos mais incentivo e condições de treinos a eles, tudo para tentarmos ter atletas tocantinenses nos grandes eventos mundiais. O nosso primeiro passo será a construção de um Centro de Excelência para modalidades olímpicas, e o Judô se enquadra nisto. O prefeito Amastha já esteve em Brasília, conversou com o ministro dos esportes e conseguiu um recurso de aproximadamente R$ 7 milhões para construímos dois centros destes; isto sem contar a contrapartida da prefeitura. Agora estamos procurando um terreno legalizado e ideal para receber esta estrutura toda. Assim, vamos promover a evolução do esporte no Estado, podendo, ainda, manter os atletas-destaques no Tocantins, não os perdendo para outras regiões do País”, afirmou o tenente da Polícia Militar.

2013 promissor para o Judô

Satisfeito com as palavras do presidente Cleyton Alen, Sensei Ton, como é mais conhecido o presidente da Fejet, prevê um ano de muitas realizações por parte do Judô tocantinense. “Esta parceria é muito importante porque o poder público tem recurso para realizar grandes ações, e quanto o usa adequadamente, muita coisa boa acontece para a população. Com estes Centros de Excelências, muitos bons atletas serão peneirados e potencializados, e os frutos desta união entre a Fejet e a Fundação Municipal de Esportes serão bem positivos; estou certo disto. Nós estamos há quatro anos trabalhando para conseguir realizar um campeonato tocantinense com oito etapas, sendo uma interestadual. Juntando o que sabemos com esta vontade de realizar que a gestão municipal tem demonstrado, sem politicagens, e nós nos identificamos com isto, certamente fará com que 2013 seja de grandes conquistas para todo o Judô do Tocantins”, destacou o Sensei Ton, agradecendo o apoio do deputado estadual Raimundo Moreira, que, em emenda orçamentária, obteve o recurso para toda a premiação da edição 2013 do Tocantinense, e revelando, ainda, que na 6ª ou 7ª etapa do torneio, após o Mundial de Judô, a acontecer no Rio de Janeiro, em agosto, um grande nome do Judô nacional virá ao Estado.

Resultado da 1ª etapa

As disputas pelas medalhas foram bastante equilibradas, o que refletiu no ranking final da 1ª etapa, no qual a equipe Sesc, com 51 inscritos, ficou na primeira colocação, tendo conquistado 21 ouros, 18 pratas e 10 bronzes; enquanto a segunda colocada Judô Guerra Sesi, com 27 participantes, subiu ao lugar mais alto do pódio 20 vezes, pegando, ainda, 4 pratas, 2 bronzes e um quinto lugar. A terceira colocação no primeiro ranking 2013 ficou com a equipe Blindados, que conquistou nove medalhas de ouro com os nove atletas inscritos.

Na sequência, a equipe Giacomini, inscrita com 15 atletas, ficou na quarta colocação com cinco ouros, duas pratas e três bronzes; enquanto a Dom Bosco, com 7, ficou em quinto lugar com cinco ouros e duas pratas. Na penúltima colocação, a equipe Ulbra, com oito atletas, conquistou três ouros, uma prata e dois quintos lugares; já na última, o time Samuray, que contou com nove judocas, conquistou dois ouros, duas pratas, quatro bronzes e um quinto lugar. (Ascom Seduc)