Estado

Foto: Divulgação

 Uma comitiva, formada por 50 profissionais, ligados ao Sindicato dos Profissionais da Enfermagem no Estado Tocantins, participou juntamente com dezenas de milhares de trabalhadores de todo o país, da marcha das centrais sindicais na última quarta-feira, 7, em Brasília, para reforçar a exigência da redução da jornada de trabalho, sem alterações nos salários.

De acordo com o presidente do Seet, Ismael Sabino da Luz, a manifestação pacífica se concentrou na Esplanada dos Ministérios e reuniu mais de 25 mil pessoas. “O Tocantins não poderia ter ficado de fora dessas discussões. Somos o Estado mais novo do país e temos reivindicações pontuais que precisam ser revistas”, contou.

O protesto foi convocado pelas Centrais Sindicais:Central Única de Trabalhadores (CUT),Força Sindical, pela União de General Trabalhadores (UGT) e por outras federações de sindicatos, e teve como principal exigência a redução da jornada de trabalho dos trabalhadores Brasileiros, que os líderes operários já reivindicam há mais de quatro anos, sem receber resposta.

Ainda de acordo com o presidente, durante a manifestação, os sindicatos exigiram ainda reformas nos sistemas de previdência e aposentadoria, e também pediram que o governo invista 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na educação e 10% de seu orçamento anual na saúde, além de acelerar os planos de reforma agrária.

No próximo mês será promovida uma marcha juntamente com as categorias da Enfermagem de todo o Brasil, em Brasília. O Seet irá fazer sua parte não promoção dessa marcha pela aprovação das 30 horas semanais nacional para a enfermagem brasileira.

“Contamos a participação de todos os profissionais”, espera o presidente. (Ascom Seet)