Estado

Foto: Divulgação Pelo twitter secretário confirmou tratamento do governador (clique na imagem p/ ampliar) Pelo twitter secretário confirmou tratamento do governador (clique na imagem p/ ampliar)

Um tratamento de hormonioterapia é o motivo pelo qual o governador Siqueira Campos (PSDB) está ausente das agendas pelo interior do Estado. No dia 25 de março através de sua página no microblog Twitter o secretário de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos confirmou a uma internauta que o governador está fazendo hormonioterapia. “Perceba, meu Pai tem 84 anos, faz hormonioterapia, após retirada total da próstata. Ele viaja para Bsb pela TAM, tds vêem isso. Certo? (sic)”, disse o secretário em seu post.

Ainda através do Twitter o secretário justificou o motivo da ausência do pai em alguns eventos nos quais ele é que tem representado o governador principalmente em agendas de anúncios de investimentos e benefícios. O secretário representa o governador nos maiores eventos do governo o que gerou questionamentos por parte da oposição e também de populares que notam a ausência de Siqueira Campos.

Ainda na página do Twitter, Eduardo afirmou: “Não estamos no interior cortando cabelo, dando quentinha/tirando fotocópias, coisa q apenas no período eleitoral configurou crime. Portanto e por tudo, o Governo faz inúmeras e incontáveis ações sem o Governador, com outros Secretários e nada disso fere a Lei. Saiba que eu teria a maior honra e gostaria mais do que todos,de vê-lo presente em tds os nossos encontros,todas as solenidades (sic)”, explicou o secretário através de vários posts na rede social respondendo a questionamento de uma internauta.

Em um trecho da conversa Eduardo admite diretamente que o governador tem sido poupado das viagens. “Ele n tem feito as viagens p/ interior. Hj tá em BsB. Ele não é obrigado, eu n estou proibido. De obra púb fala qqer agente público (sic)”, explica em outro trecho. O secretário diz abertamente que o governador está sendo preservado em razão do tratamento.

A hormonioterapia busca inibir o crescimento do câncer pela retirada do hormônio da circulação - chamada de 'privação' - ou pela introdução de uma substância com efeito contrário ao hormônio (antagonista).

ATN não esclarece

O Conexão Tocantins solicitou da Agência Tocantinense  de Notícias (ATN) informações oficias sobre o tratamento ao qual o governador está sendo submetido, conforme informou o próprio secretário Eduardo Siqueira abertamente pelo twitter, mas o órgão não deu posição específica sobre tal indagação. Através de nota a ATN se limitou a dizer que o Governador Siqueira Campos goza atualmente de boa saúde e mantém todos os compromissos previstos em sua agenda.

“A prioridade determinada pelo Governador nos eventos do governo nos municípios é pela transversalidade, com a presença da equipe de secretariado para que a população e os gestores municipais possam conhecê-los e assim ter uma relação institucional mais estreita”, disse.

A Agência de Notícias do governo atribuiu ao governador estar à frente de ações de cunho interno. “Ao Governador cabe, principalmente após a perda de mais de R$ 300 milhões no ano de 2012 (perda que mensalmente avança na mesma proporção da perda nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano),  despachar com os gestores dos diversos órgãos do Estado, conceder audiências e receber investidores, empresários, embaixadores e dignitários estrangeiros e nacionais que possam contribuir com o crescimento econômico para melhorar o nível de emprego e renda do Tocantins”, citou.

Hormonioterapia

A hormonioterapia é um tratamento médico feito a partir de medicamentos com a função de inibir a atividade dos hormônios que tenham alguma influência no crescimento de um tumor. É usada no tratamento de câncer de mama e de cancer de próstata, ( no caso do governador) que estão relacionados aos hormônios humanos, e, portanto, podem ser controlados por meio de inibidores de hormônios ou até mesmo por hormônios que neutralizem efeitos de outros hormônios. A administração dos medicamentos é feita principalmente por via oral e sem efeitos colaterais.

Saiba mais sobre a hormonioterapia