Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual do PPS, Manoel Queiroz apresentou um requerimento em regime de urgência na sessão desta terça-feira, 9, onde pede explicações do governo sobre as nomeações dos servidores concursados do Quadro geral e também a convocação do secretário da Administração, Lúcio Mascarenhas para prestar informações sobre as últimas contratações.A urgência do requerimento foi aprovada.

Queiroz questiona no requerimento as nomeações em cargos comissionados e de assessores técnicos por parte do governo.

O parlamentar afirma que os concursados estão sendo lesados pelo governo. “Nos últimos dias o Governo vem publicando em Diário Oficial, decretos de fusão e criação de secretarias e republicação de Medida Provisória. Estão criando mais e mais cargos comissionados a fim de enganar a convocação dos concursados, prova disso está programada uma manifestação pelos aprovados no concurso, no dia 15/04 em frente ao Palácio Araguaia”, alega o deputado.

Queiroz alega ainda que “nos últimos dias só os cargos de Assessores Técnicos de DAS-1 a DAS-12 só para a Secretaria Geral da Governadoria do Gabinete do Governador foram criados 105 novos cargos, conforme diário oficial nº 3.897 do dia 18/03/2013 e neste mesmo diário fora criado, na CASA MILITAR 04 cargos de assessores para Ajudante de Ordens , ou seja o Ajudante de Ordem agora tem assessores DAS-10 com um salario de R$ 3.600,00, e tem mais, na Secretaria da Agricultura, foram 80 novos cargos de Assessores Técnicos e Executivos de DAS-1 a DAS-12, com valores de salários que variam de R$ 1.500,00 a R$ 5.100,00”, consta no requerimento.

Outro questionamento é sobre a nomeação do ex-prefeito de Sampaio, Carlos Furlan que foi condenado por dois tribunais o de Contas e o TRE. “Estou aqui com as provas de suas condenações, ou seja senhor Presidente, uma pessoa que já deveria estar fora da vida publica foi agraciado por este Governo com um cargo comissionado DAS-7 com salario de R$ 2.700,00”, alegou.

Concurso da PM

O deputado governista José Bonifácio (PR) também apresentou um requerimento onde pediu que seja formado um cadastro reserva no concurso da PM e também o aumento de 300 vagas no certame. Segundo o governista é preciso aumentar as vagas do concurso.

O deputado Sargento Aragão (PPS) sugeriu sobre o certame da PM que seja acordado que a cada ano sejam chamados no mínimo 500 do cadastro.