Polí­tica

Foto: Clayton Cristus Stalin está fazendo o embasamento da propositura da CPI para apresentar o mais rápido possível Stalin está fazendo o embasamento da propositura da CPI para apresentar o mais rápido possível

A CPI que deverá ser proposta pelo deputado estadual Stalin Bucar (PR) e que visa averiguar a relação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-TO) com o Governo do Estado bem como as ações do órgão já tem o apoio de seis deputados estaduais: a do autor,  Sargento Aragão (PPS), Josi Nunes (PMDB), Eli Borges (PMDB), Manoel Queiroz (PPS) e inclusive do governista Freire Júnior do PSDB. O tucano inclusive foi incisivo ao defender a abertura da CPI e chegou a dizer que se fosse em outro Estado, talvez, as denúncias já teriam derrubado as autoridades envolvidas. Para o parlamentar, a CPI é necessária.

Stalin contou ao Conexão Tocantins que está fazendo o embasamento da propositura da CPI para apresentar o mais rápido possível. Os deputados da oposição, Solange Duailibe (PT), Wanderlei Barbosa (PEN) e Luana Ribeiro (PR) não confirmaram ainda se vão apoiar a CPI. Segundo Stalin, ele chegou a conversar inclusive com o deputado do PR, José Bonifácio sobre  a possibilidade de apoio na propositura mas ainda não recebeu resposta dos demais parlamentares.

O republicano explicou ainda que vai colocar o nome de todos os 24 deputados no requerimento para CPI e que os que se interessarem em apoiar devem assinar.

Em entrevista ao Conexão Tocantins Luana Ribeiro frisou na tarde desta terça-feira, 9, que precisa primeiro conhecer o teor do requerimento sobre a CPI para definir sua posição. “Ainda nem vi o teor do requerimento”, ponderou. Segundo ela, é preciso aguardar também uma manifestação do TCE sobre o assunto.

Um dos fatos que levaram à proposta de abertura da CPI foi a doação de R$ 2500 por parte do governo estadual para festa particular na Pousada de propriedade de familiares do presidente do TCE, Wagner Praxedes em Araguatins. A doação aconteceu ano passado.

Semana passada causou repercussão a publicação do extrato de contrato novamente contemplando a pousada com doação do governo. Desta última vez o valor orçado foi de R$ 7.800 e, segundo o governo, foi cancelado. Isto após repercussão na mídia.

Na sessão desta terça-feira, o deputado Aragão mostrou provas e documentos que comprovam a doação do ano passado e frisou que o valor é o menos importante o que precisa ser investigado, conforme ele frisou, é a relação do órgão com o governo. Aragão inclusive fez um pedido de explicações ao órgão sobre as denuncias. A presença da presidente da Fundação Cultural, Kátia Rocha também já foi solicitada na Casa de Leis do Estado.

O autor do pedido de CPI, Stalin Bucar, fez várias declarações polêmicas contra o TCE e chegou a dizer que o órgão é lugar de bandidos e que alguns conselheiros, no caso de alguma investigação, iriam para a cadeia.

O TCE

O Conexão Tocantins já solicitou resposta do TCE sobre as acusações dos deputados e principalmente sobre  a proposta de abertura de uma CPI e aguarda manifestação do órgão.