Estado

Foto: Divulgação

Assolada pela seca durante boa parte do ano, a população da região Sudeste do Tocantins está prestes a vivenciar uma nova realidade. Vinte e sete municípios receberão a implantação do Programa Tocantins Sem Sede, executado pela Agência Tocantinense de Saneamento (ATS). Ao todo, até 2014, devem ser instaladas 11.350 cisternas na região, atendendo 57 mil famílias que residem na área rural.

Segundo o presidente da ATS, Edmundo Galdino, o Tocantins Sem Sede vai beneficiar todos os tocantinenses que, atualmente, vivem com pouca água. “O programa vai atender 100% da demanda do Estado, pois o atendimento baseia-se em levantamentos sistemáticos realizados pela Defesa Civil, que apontam os locais com situação mais crítica”, afirma.

Galdino adianta que as primeiras cisternas devem ser instaladas até o final de abril e vão estar em pleno funcionamento entre os meses de maio e junho deste ano. Ele acrescenta ainda que além das cisternas a população da região sudeste será beneficiada com a construção de 141 barragens. “Cada família será beneficiada com uma cisterna. Já no caso da barragem, cada uma deve atender até 50 famílias”, explica.

Comitê

Atualmente estão sendo realizadas reuniões para formação de comissões em cada município atendido pelo programa. Os comitês devem ser compostos por representantes de associações rurais, conselhos municipais, secretaria municipal de saúde, agentes de saúde, secretaria de assistência social, agentes sociais, secretaria do meio ambiente e Defesa Civil, dentre outros.

Em Jaú do Tocantins, a assessora de assistência social da Secretaria de Assistência Social do município, Maria José da Silva Miranda, participou de uma das reuniões de preparação para instalação do Tocantins Sem Sede. De acordo com ela, o programa é fundamental para a sobrevivência de quem vive nas regiões mais secas do estado. “A expectativa da comunidade é enorme, pois será através do programa que muitas famílias terão acesso à água. A maior parte das famílias beneficiadas mora em áreas que não tem água alguma e o programa vem pra mudar essa situação crítica”, diz.

Nesta terça-feira, 9, prefeitos, comitê municipal e comissões comunitárias vão realizar mais uma reunião no município de Palmeirópolis, com representantes dos municípios do pólo de Gurupi.

Entre os dias 15 e 19 de abril devem ser realizadas reuniões para formação de comitês com lideranças municipais e representes do Programa Tocantins Sem Sede nos Polos de Taguatinga (Aurora, Combinado, Lavandeira, Novo Alegre e Taguatinga) e o Polo de Natividade (Arraias, Conceição do Tocantins, São Valério, Paranã e Santa Rosa).

Sobre o programa

O Tocantins Sem Sede tem como meta garantir à população rural em situação de extrema pobreza o acesso à água, seja para o consumo próprio ou para a produção de alimentos e criação de animais. O objetivo é possibilitar a geração de excedentes comercializáveis para a ampliação da renda familiar dos produtores rurais.

A iniciativa integra o Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Água, do governo federal, o Água para Todos, que pretende levar até ano que vem água para 750 mil famílias de todo o País, em especial do semiárido brasileiro. Para cumprir a meta serão instaladas 300 mil cisternas de polietileno e 450 mil cisternas de placa, além de tecnologias complementares como barreiros, sistemas coletivos de abastecimento e kits de irrigação. No Tocantins, o governo vai investir R$ 80,4 milhões para enfrentar a seca no estado. (ATN)