Polí­tica

Foto: Divulgação

Como líder da oposição na Câmara de Palmas, o vereador Iratã Abreu (PSD-TO) comentou o balanço dos 100 dias apresentado pelo líder do prefeito Carlos Amastha na Câmara, vereador Joel Borges. Iratã ressaltou que Borges apresentou, em sua maioria, os planos e projetos do governo e algumas boas ações, como a melhora da iluminação pública e o anúncio do concurso da Educação.

Iratã ressaltou que o prefeito disse que faria determinadas ações que nestes 100 dias não foram executadas e que a marca desse período foi a falta de diálogo. Além disso, Iratã observou que parece que há um problema de comunicação entre o prefeito e sua base aliada. “A base diz uma coisa e ele, Amastha, faz outra”, diz o oposicionista.

Iratã reforçou que não disse inverdades. “Afirmei e ratifico a avaliação que fiz dos 100 dias”, disse o vereador ao conceituá-la como contraditória entre o que foi prometido em campanha e o que está acontecendo na prática.

Lixão a céu aberto

O vereador Iratã Abreu discordou da afirmação do prefeito Carlos Amastha ao portal G1 de notícias. Segundo ele, os serviços de limpeza já aconteciam e na gestão dele (Amastha) é que estavam lentos demais. Só melhoraram depois que a oposição e a base governista cobraram a presença do secretário da Infraestrutura e Serviços Públicos, Marcílio Avila, na Câmara para apresentar o cronograma de serviços. Depois de o vereador Iratã ler o trecho da entrevista do G1 em plenário, outros vereadores manifestaram surpresa com a afirmação do prefeito. Para Iratã, a obrigação de uma Prefeitura é limpar a cidade, mas a marca dos 100 dias da gestão Amastha é a falta de diálogo, segundo o vereador.

Revitalização

Na sessão desta quarta-feira, 10, o vereador Iratã Abreu teve aprovados três requerimentos. Em dois deles, ele solicitou melhorias para a quadra 303 Norte - a revitalização da Praça Pública e a roçagem de áreas públicas não edificadas. No terceiro, ele pediu a reparação da pavimentação asfáltica da quadra 409 Norte.