Bastidores

Foto: Divulgação

O destino da secretária de Cultura e presidente da Fundação Cultural do Estado, Kátia Rocha está nas mãos do governador Siqueira Campos segundo relatam aliados do governo. A titular teria colocado os cargos á disposição do governador. Mesmo Siqueira Campos tendo dito em nota que o assunto está superado muitos aliados defendem a saída de Kátia após polêmica sobre doação de recurso público (R$ 2.500) para show em Pousada Particular de propriedade de parentes do presidente do TCE, Wagner Praxedes.O governador afirmou ainda através da nota que a secretária mostrou ser uma "pessoa correta" ao devolver o dinheiro

“ A Kátia é uma das mulheres mais leais e próximas do governador. É de dentro da casa dele e está sendo fritada em praça pública e por rede social”, analisou o deputado estadual do PSDB, Freire Júnior em entrevista ao Conexão Tocantins. Ele confirmou que ficou sabendo que a secretária entregou os cargos para o governador.

O deputado defendeu a lealdade da secretária ao governador e disse que agentes do governo estariam sendo injustos com ela. Indiretamente ele se referiu á  postura do secretário de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos que criticou a atitude da secretária através de seu microblog twitter. Eduardo disse que a doação não foi moral e anunciou que Kátia iria devolver o valor corrigido para os cofres públicos.

Na Assembleia Legislativa o deputado do PT, José Roberto Forzani chegou a pedir que o governo exonere a secretária e sugeriu que o presidente do TCE também fosse afastado do cargo em razão das denúncias.

Entenda

A polêmica começou quando veio à tona na semana passada que o governo destinou R$ 7800 para uma festa particular na Pousada para Show sertanejo. Mesmo com a publicação do extrato do contrato no Diário Oficial o governo, após polêmica e repercussão na imprensa, cancelou a doação. Dias depois porém foi divulgado pelo Conexão Tocantins que ano passado outro show foi patrocinado pelo governo na mesma pousada. Desta vez o valor pago foi R$ 2.500. O assunto repercutiu na Assembleia e daí surgiu a ideia de abertura de uma CPI. Para tentar contornar o caso a secretária de Cultura Kátia Rocha devolveu ontem o valor corrigido para os cofres públicos, segundo comprovante encaminhado para a imprensa.

Mesmo diante de toda polêmica a secretária Kátia Rocha permanece no governo mas deverá ir à Assembleia da explicações aos deputados.

O presidente do TCE não se manifestou sobre a polemica. O TCE resolveu, após toda polêmica, antecipar a auditoria nas contas da Fundação Cultural.