Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Militar de Timon no Maranhão entrou em contato com o Conexão Tocantins para informar que o ex-vice-prefeito de Xambioá, Clênio da Rocha Brito foi localizado na cidade. Ele estava morando no município há cerca de um ano, segundo as informações. Brito é uma das peças chaves da investigação do caso da morte da professora Isabel Barbosa Pereira, 34 anos, assassinada e estrupada em 28 de junho de 2009, na cidade de Xambioá, distante 520 Km de Palmas, extremo norte do Tocantins.

O ex-vice-prefeito será encaminhado ao Tocantins já que é tido como foragido. Ele chegou a impetrar impetrado habeas corpus perante o Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ-TO) mas a determinação de sua prisão foi mantida.

Uma  ação proposta pelo promotor de justiça Caleb Melo pediu a suspensão dos direitos políticos do gestor, aplicação de multa civil, proibição de contratar ou obter benefícios governamentais, além da perda do cargo ou mandato. Vilmar Martins Leite, esposo da ex-prefeita de Xambioá, Ione Leite (PP) também é um dos acusados do crime.

O juiz Baldur Rocha Giovannini acatou a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE) em 2010  por meio do promotor de justiça Caleb Filho, contra as 10 pessoas acusadasForam denunciados: Anderson de Araújo Souza e Roseli Francisco Alves Silva como executores; Sergio Mendes da Silva (marido de Isabel); Antonio Batista da Silva Filho, irmão de Sérgio, que ajudou a planejar o crime; Clenio da Rocha Brito,  vice-prefeito da ex- prefeita Ione Leite; Jenner Santiago Pereira, irmão do ex-prefeito Richard, e ex-secretário de Finanças da prefeita Ione; Ronaldo Espindula Silvo, braço direito do Jenner; Ronisley Mendes da Silva, irmão do Sérgio; Wagner Mendes da Silva, irmão de Sérgio e Vilmar Martins Leite, esposo prefeita Ione. Ronaldo Espindola da Silva conseguiu um habeas corpus e foi solto.

Segundo apurado pelo inquérito policial, o mandante do crime é o próprio marido de Isabel, Sérgio Mendes da Silva, que prestes a se separar da vítima, teria ficado descontente com o pedido, advindo da esposa, de R$ 15.000,00 dos R$ 40.000,00 que ele receberia para depor contra o prefeito à época Richard Santiago Pereira, vencedor das eleições municipais de 2008, mas que acabou sendo cassado pela Justiça Eleitoral.