Estado

Foto: Divulgação

O governo do Tocantins encaminhou nesta segunda-feira, 22, o projeto executivo com as metas para a instauração do Programa de Desenvolvimento da Região Sudoeste do Tocantins (Prodoeste) ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O projeto, que visa levar, entre outras ações, abastecimento de água para lavouras subirrigadas, foi orçado em US$ 165 milhões, com contrapartida do Governo do Estado na casa dos US$ 66 milhões. O restante, US$ 99 milhões, são de recursos do próprio banco.

De acordo com o secretário executivo da Secretaria de Estado da Agricultura, Ruiter Padua, a estimativa é que o banco analise as demandas constantes no projeto dentro dos próximos 15 dias. É a partir da aprovação do projeto executivo, somado ao resultado dos estudos encomendados junto à empresa gerenciadora - Consórcio Quanta/Magna - que as obras do Projeto serão realizadas. A estimativa da Seagro é que este processo esteja concluído dentro de 18 meses para a abertura da licitação e contratação da empresa que realizará as obras. “A concepção do projeto é para possibilitar a agricultura irrigada nos períodos de seca”, disse.

Pádua ainda destacou que nesta primeira etapa do programa, que contempla a construção de barragens nos rios Pium e Riozinho, 26 mil hectares de terra serão beneficiados com subirrigação, garantindo a produção em 26 mil hectares, ampliando em duas vezes e meia a capacidade produtiva da região. “Atualmente é produzida uma safra de arroz por ano. Com o projeto, vamos produzir cinco safras em dois anos”, salientou.

O secretário executivo da Seagro frisou que a implementação do Prodoeste possibilitará a ampliação também na diversidade de produção da região beneficiada. “Poderemos plantar soja, milho, melancia, feijão. Quase tudo será possível depois do funcionamento do Programa”, frisou.

Beneficiamento indireto

Além dos resultados diretos na produção agrícola na região sudoeste, o Programa visa ainda outras formas de beneficiamento para os cinco municípios contemplados nesta primeira etapa de execução. Padua destacou a construção de 65 km de estradas possibilitando o escoamento da produção; programas de capacitação dos produtores; e o fortalecimento institucional dos municípios através da melhoria da infraestrutura tributária das Prefeituras. “Tudo isso está contemplado no orçamento previsto para o Prodoeste”, explicou.

No setor ambiental, o programa tem como metas o resgate da fauna local; a limpeza dos reservatórios; recuperação da vegetação afetada pelas barragens, além do monitoramento dos peixes nativos da região e o resgate arqueológicos em sítios, caso sejam encontrados. “A construção das barragens é apenas uma parte dentro do projeto”, pontuou.

O Prodoeste

O Programa de Desenvolvimento da Região Sudoeste do Estado do Tocantins – Prodoeste tem por objetivo a intensificação das atividades econômicas e a ampliação das oportunidades produtivas mediante a oferta hídrica regular para os usos múltiplos no sudoeste do Tocantins, visando o desenvolvimento sustentável do Estado e a melhoria da qualidade de vida da população. (ATN)