Polí­cia

Foto: Divulgação

Policiais da Divisão de Repressão a Sequestro, Furtos e Roubos a Bancos – DRSFRB/Deic de Palmas, sob comando da delegada Liliane Albuquerque Amorim, juntamente com o Gote e Polinter, prenderam mais três integrantes de uma das maiores quadrilhas de arrombamento de caixas eletrônicos do Estado do Tocantins. A ação ocorreu na manhã, desta quarta-feira, 29, na cidade de Itupirama a cerca de 240 quilômetros de Palmas, durante cumprimentos de mandados de prisão.

Foram presos durante a operação Carlos Henrique da Silva Batista, “vulgo Preto”, de  29 anos; Ismael Melgaço Costa, “vulgo Irmão”, 27 anos; Anderson Rodrigues de Moura, “vulgo Catatal”, de 38 anos. Todos foram indiciados por furto qualificado por uso de explosivo e formação de quadrilha armada. Na ação, José Ribamar Costa Pereira, de 56 anos, pai de um dos indiciados também foi preso, já que dava suporte a quadrilha que foi detida em sua residência, na cidade de Itupirama.

Com a quadrilha foram apreendidos um revólver, calibre 38, uma espingarda, calibre 22 e outros dois veículos, um Prisma e um Gol. A Polícia Civil já tinha apreendido, com outros integrantes da quadrilha, que foram presos em Goiânia no dia 8 de março deste ano, uma caminhoneta Hillux, blindada, a qual era utilizada para fuga nos crimes, além de materiais utilizados em arrombamentos de caixas eletrônicos como: furadeira industrial de base magnética, maçaricos, alavanca, celulares, chip’s, simulacro de pistola, rádios de comunicações e vários C.R.V em branco e C.R.L.V’s preenchidos, todos os documentos furtados do Ciretran de Paraíso-To no ano de 2010.

As investigações apontam que o bando é acusado de ter cometido crimes nas cidades de Fátima, no dia 27 de março de 2012, em Monte do Carmo e Pugmil, crimes praticados no mês de janeiro deste ano. Os indiciados também são suspeitos arrombar os caixas eletrônicos de Lajeado, Fortaleza do Tabocão e do Supermercado Atacadão. Todos os crimes aconteceram no ano passado. Além dessas acusações pesam contra os acusados outros arrombamentos de caixas eletrônicos que aconteceram no Estado entre os anos de 2010 e 2011.

De acordo com a Deic, a quadrilha era composta por nove integrantes sendo eles: Anderson Rodrigues de Moura, vulgo “Catatau”,  Carlos Henrique da Silva Batista, vulgo “Preto”; Ismael Melgaço Costa, vulgo “Irmão”; José Roberto Fernandes do Nascimento, vulgo “Zé Bunitin” (foragido), Francisco Ribeiro Neto, vulgo “Neto” (foragido), Osvaldo Cerqueira Tavares, vulgo “sargento” (preso); Miguel Antonio Soares, vulgo “Negão do i30” (preso); Antunimilson dos Santos Pereira, vulgo “Milson”(liberdade condicional), Julio Cesar de Freitas Rodrigues, vulgo “Julião e/ou “Huck”, (preso).

A Polícia Civil continua as investigações na tentativa de prender outros foragidos da justiça contando com o apóio das demais polícias e denúncias de populares que podem entrar em contato no número 0800.63.1190, para assim ajudar a dar resposta a essas ações criminosas que vem acontecendo paulatinamente em nosso Estado do Tocantins.

O trabalho de intensificação ao combate a criminalidade, intitulado como “Tolerância Zero, TO mais seguro”, é uma determinação do Governo do Estado, bem como do Secretário de Estado da Segurança Pública, Dr. Eliu Jurubeba de Andrada, que junto com a delegada chefe, Fátima Holanda Ubaldo, designou foco total nas investigações e operações realizadas pela Polícia Civil do Tocantins.

De acordo com a delegada Liliane Amorim Albuquerque, responsável pelas investigações, foram pelo menos 14 meses de trabalho até chegar à autoria dos responsáveis pelos crimes cometidos no Estado. “Atualmente os três estavam morando no Estado de Goiás para tentar atrapalhar as nossas investigações, mas graças ao bom trabalho de nossa equipe não obtiveram êxito”, afirmou a delegada.

Ainda de acordo com a delegada o grupo estava fazendo um levantamento, e iria praticar mais uma ação criminosa assim que os terminais dos bancos fossem abastecidos para o pagamento do Estado. “Nós conseguimos surpreendê-los antes da ação criminosa, e acreditamos que nos próximos meses mais pessoas de outras quadrilhas serão presas, já que estamos atentos e monitorando essas práticas de crimes em todo o Estado”, disse ainda Liliane. (Ascom SSP)