Polí­tica

Foto: Divulgação

O Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, 31, traz o ato de exoneração do deputado estadual Raimundo Palito (PEN) da Secretaria Extraordinária para Assuntos Legislativos a partir de 1º de junho. Assim sendo o parlamentar retorna á Casa de Leis a partir da próxima semana e o suplente Jorge Frederico deixa o cadeira.

A exoneração foi a pedido, conforme mostra o ato. O governador Siqueira Campos rendeu elogios ao perfil do parlamentar e possivelmente se referindo á decisão do Tribunal Regional Eleitoral de cassar o mandato e torná-lo inelegível frisou que Palito é vítima de adversários.

“O governador do Estado do Tocantins, no uso da atribuição que lhe confere o art. 40, inciso XI, da Constituição do Estada, respeitando  a decisão deste homem íntegro, bem-sucedido e dedicado, que há muito é vítima da maldade e do infortúnio de adversários, daqueles que optam pela omissão do dever para com o Estado, atacando o brilho e a liderança que esse Agente Político alcançou na virtuosa jornada pública, resolve, em ato que desfalcará este Executivo,exonerar, a pedido, com elogios e agradecimentos pelo extraordinário desempenho de suas funções na defesa dos interesses do povo tocantinense”, diz o governador no ato de exoneração.

Palito ainda recorre na justiça para conseguir permanecer no mandato e fica no cargo até o julgamento de recurso pelo TSE. Palito foi alvo de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) que constatou suposto abuso dos poderes político e econômico, cassou o diploma do parlamentar e declarou a sua inelegibilidade pelo prazo de oito anos, a contar das eleições de 2010.