Palmas

Foto: Divulgação

Um grupo de mototaxistas fechou o trânsito na Avenida JK em frente á sede da Prefeitura de Palmas no final da tarde desta sexta-feira, 28. Com a confusão, alguns carros chegaram a desviar por cima do canteiro central. Minutos depois a via foi liberada após chegada da Polícia Militar. A mobilização, segundo informaram líderes do movimento, foi em reivindicação a algumas taxas que  a prefeitura passou a cobrar mas são vários motivos, segundo revelou ao Conexão Tocantins o presidente do Sindicato da categoria, Pedro Tito Neto.

“Nós estamos cobrando o compromisso com o prefeito de marcar uma reunião conosco. É a segunda vez que marca de nos receber e não nos recebe”, frisou. Segundo ele, havia um encontro agendado para esta sexta-feira, 28, mas o prefeito adiou. “É um descaso”, frisou

Eles pedem também a isenção dos impostos do Código Tributário do município para o exercício da profissão.

Segundo eles, um parecer da procuradoria de Palmas apontou ilegalidade na licitação para vagas de mototaxistas e além disso a prefeitura reduziu de quatro pra um ano a renovação da permissão de mototaxi que é a autorização para que eles possam trabalhar. “ É um retrocesso para nossas conquistas”, avalia o presidente.

Outra bandeira de luta, segundo o Sindicato, é contra a decisão da prefeitura de tornar as concessões intransferíveis. “De acordo com a legislação a vaga de mototaxi é transferível. Não é cabível aceitar isso”, frisou. O Sindicato aponta ainda que a Prefeitura pretende terceirizar o serviço de vistoria semestral nas motos o que segundo eles vai aumentar o custo para os mototaxistas. Atualmente na capital são 250 mototaxistas e 40 condutores auxiliares.

Uma nova manifestação está prevista para a próxima segunda-feira, 1º, onde eles pretendem reivindicar nas ruas da capital e fazer um novo protesto em frente à prefeitura.